Não informado

PPS Mulher busca representação maior no âmbito político

Márcio Pimentel
Simone Giroto: “Precisamos estar inseridas na política para mudar o sistema”
Simone Giroto: “Precisamos estar inseridas na política para mudar o sistema”

A coordenadora estadual do PPS Mulher Simone Giroto esteve em Toledo na quinta-feira (30) para divulgar o lançamento da Campanha Mais Mulheres no Poder. Em visita ao JORNAL DO OESTE, ela disse que a visão do partido é reforçar a participação e a importância da mulher na política.

“Este é o principal trabalho do PPS Mulher dentro das regionais, fortalecer, trazer mais mulheres em todos estes níveis e sensibilizar sobre sua importância. Elas já têm sensibilidade natural, como mãe, de cuidado, têm muito a contribuir na política com essa visão de cidadania, que já começa em casa”, destaca a coordenadora.

Simone, no entanto, reforçou que as mulheres ainda têm uma resistência a ocupar cargos eletivos, mas que precisam ter uma representação maior no âmbito político. “A mulher não foi sensibilizada, não parou para pensar a capacidade e a competência que ela tem na política. Não é que ela tenha medo. Ela desconhece a capacidade para entrar neste meio”.

A coordenadora pontuou que em vários setores a mulher se destaca. “Hoje a mulher atinge 58% do mercado de trabalho, na educação já avançou, somos 52% de eleitoras, passa de 51% da população. No empreendedorismo, 43% são donas de negócios, ou seja, somos empreendedoras”.

Para Simone, a baixa adesão também pode ser justificada por questões culturais, pelas quais a mulher foi ensinada a cuidar da casa e dos filhos. Entretanto, esta visão está mudando. “Tem a necessidade de a mulher contribuir para o local em que ela vive. Talvez precise esta sensibilização para que ela se motive. É nosso papel, trabalhar o poder que ela tem para isso”.

Ela reiterou que o objetivo é chamar as mulheres para que participem da vida política do país. “São poucas as mulheres ocupando cargo de vereadora e senadora, e as nossas causas estão nas vozes dos homens”.

Conforme Simone, é isso que o partido busca:  fazer com que as mulheres se interessem em ocupar estes cargos públicos e não sirvam somente para preencher as cotas mínimas dos partidos. “Recentemente, foi reestruturado para acabar com esta história de que as mulheres são apenas números, queremos pessoas ativas, com potencial, porque a gente não muda nada fora da política, precisamos de líderes com mandatos”.