Região

Professores da rede municipal compartilham experiências após formação oferecida pelo PTI

Em uma parceria com a Prefeitura de Foz do Iguaçu e a Fundação Banco do Brasil, foi promovida capacitação no método investigativo (Foto: Divulgação)

Depois de participarem da formação no método investigativo, que prevê maior interação dos alunos no processo de aprendizagem, oferecida pelo Parque Tecnológico Itaipu (PTI) e aplicarem a metodologia em sala de aula durante um mês, 59 professores da rede municipal de ensino compartilharam as experiências entre si na semana passada.

A formação foi promovida pelo PTI, por meio do Estação Ciências, em parceria com a Prefeitura de Foz do Iguaçu e a Fundação Banco do Brasil. O ensino por investigação é uma estratégia pedagógica para diversificar a prática do dia na dos professores na escola. Mesmo após concluí-la, os professores garantem que vão dar continuidade à prática, uma vez que já notaram resultados positivos em sala de aula.

Além dessa formação de professores, que envolveu cinco encontros presenciais e um mês de prática com o suporte da equipe do Estação Ciências, o PTI também desenvolveu um projeto-piloto com a escola Monteiro Lobato, do bairro Porto Belo, de capacitações dos professores no método do ensino por investigação, iniciado em julho do ano passado e com previsão de término no final do primeiro semestre deste ano.

O diretor superintendente do PTI Jorge Augusto Callado afirmou que a intenção é replicar esse modelo nos 54 municípios do Oeste do Estado. Na semana passada, foi assinado um convênio entre a Itaipu Binacional e o PTI que prevê ações como formação de professores e atendimentos pedagógicos na região. “Experiência boa nós temos que passar adiante”, reforçou o diretor superintendente do Parque.

Callado comparou o conhecimento à concha de calcário que protege os caramujos. “Nós, seres humanos, não temos uma concha para nos proteger, mas temos o conhecimento, a educação e a formação, que faz que consigamos enfrentar as diversidades e evoluir”, destacou.

O responsável pela coordenação do programa Governança Municipal Gilmar Silva de Andrade, representando o diretor-geral brasileiro da Itaipu Marcos Stamm durante o evento de compartilhamento de experiências da formação, destacou que a ampliação das iniciativas como essa capacitação para os 54 municípios do Oeste é uma tendência que a Itaipu vem seguindo há pouco mais de um ano e meio, a fim de promover o desenvolvimento. “E a educação é o passo inicial”, comentou.

O secretário municipal de Educação, Fernando Ferreira de Souza Lima, lembrou que, em um primeiro momento, muitas professoras receberam a formação com desconfiança. Mas, segundo ele, o método investigativo mostrou-se uma “estratégia de trabalho interessante, um método inovador de fazer e ensinar ciência, aproveitando o que as crianças têm de melhor, que é essa curiosidade natural e essa capacidade de aprendizado”.

Luiz Carlos Vieira, da Fundação Banco do Brasil, disse que ações como essa formação de professores são fundamentais para “propiciar que nossos pequenos tenham um futuro melhor, um trabalho melhor e herdem uma terra sustentável e com melhores condições de vida”.