Toledo

Saúde alerta para medidas de prevenção contra meningite

Higienizar as mãos é uma das medidas para evitar a proliferação de vírus e bactérias (Foto: Graciela Souza)

A meningite é uma doença altamente contagiosa e ações preventivas são fundamentais para evitar a proliferação do vírus ou da bactéria. Em Toledo, a equipe do departamento de Vigilância Epidemiológica realizou 19 notificações no segundo quadrimestre deste ano. No primeiro, foram 38 notificações.

Nesta semana, uma mulher foi diagnosticada com a doença e está internada em estado grave em Cascavel. A situação causou preocupação em muitas pessoas.

O médico da Secretaria Municipal de Saúde Fernando Pedrotti explica que a principal maneira de prevenir é o cuidado com a higiene, seja ambiental ou corporal. “O grande alerta é a prevenção. Ela é o melhor caminho. Atitudes de prevenção são interessantes para evitar a proliferação de qualquer doença”.

Alguns fatores ajudam a diminuir a incidência da meningite, como manter o ambiente limpo e arejado, lavar as mãos várias vezes ao dia, manter uma alimentação saudável, ingerir líquidos e evitar a automedicação. “São medidas simples, mas trazem efeitos positivos para a saúde das pessoas”, afirma Pedrotti.

Ele recorda que no ano em que surge o H1N1 a população passa a ter uma atenção especial com as medidas de controle e prevenção da doença. Por consequência, as equipes de saúde observaram que ocorreu uma diminuição de aproximadamente 80% dos casos de meningites naquele ano.

A vacina também é uma maneira de prevenir a doença. Em Toledo, de acordo com o relatório da Secretaria de Saúde, a cobertura vacinal está em mais de 94%.

 

ALERTA

Apesar desses cuidados no dia a dia, o médico orienta que na presença dos sintomas: febre, dor de cabeça, cansaço, desconforto provocado pela luz, sonolência, dores nas articulações, uma mancha de pele avermelhada, náuseas e vômitos, o cidadão deve buscar a avaliação de um profissional. “Diante da suspeita deve-se fazer os exames para identificar as causas e iniciar o tratamento”.

Atualmente, existem diferentes tipos de meningites. As mais comuns são as virais e as bacterianas, sendo que a meningite meningocócica é considerada perigosa. Ela é uma forma altamente infecciosa da bactéria da meningite e consiste em uma séria inflamação das meninges (a fina camada que circunda o cérebro e a medula espinhal).

Pedrotti salienta que a transmissão do vírus acontece pelas pessoas infectadas pela bactéria. Elas frequentemente carregam a doença sem a manifestação dos sintomas e podem espalhar a bactéria através da tosse e de espirros. “Ambientes pequenos e superlotados aumentam o risco de disseminação da doença”.

As bactérias são transmitidas de pessoa para pessoa através de gotículas de secreções respiratórias ou da garganta dos transportadores. Contato fechado e prolongado com uma pessoa infectada (um transportador) - facilita a propagação da doença. Além disso, a complicação de algumas infecções pode evoluir para meningite. “É preciso manter os cuidados diários para evitar a meningite e também outras doenças”, finaliza o médico.