Toledo

Secretário faz tratativas com IAP para licença ambiental do Aterro Sanitário

Um novo Aterro Sanitário será construído em Toledo. Neste intervalo IAP autoriza município a destinar o lixo para o antigo lixão após fazer adequações (Foto: Divulgação)

O secretário de Meio Ambiente de Toledo Neudi Mosconi esteve em Curitiba esta semana para tratar de assuntos relacionados aos convênios entre o município e a Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema). No roteiro, estava uma reunião com a direção do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) para tratar sobre a autorização ambiental para implantação das áreas emergenciais do Aterro Sanitário.

Em virtude do encerramento da capacidade de recepção de resíduos no atual aterro uma licitação está em andamento. “A obra do novo Aterro Sanitário deve demorar de oito a 12 meses. Ou seja, com previsão de entrega para final de 2019. Por conta disso, fomos buscar a autorização do IAP para utilizarmos como áreas emergenciais os antigos lixões para destinar os resíduos até o novo espaço estar disponível”, explica Mosconi.

Com a medida, segundo ele, será possível inclusive melhorar a condição destes espaços resolvendo alguns passivos ambientais, com a implantação de geomembranas.

Mosconi também visitou o secretário Antonio Carlos Bonetti, para o alinhamento de alguns prazos e ajustes dos contratos entre o município e o Governo do Estado. Havia a necessidade de formalizar alguns trâmites administrativos para a atualização dos convênios e a visita foi oportuna para o fortalecimento das relações institucionais.

 

CONVÊNIOS

As tratativas durante a reunião foram relacionadas principalmente à parceria que garante o repasse de recursos do Estado referentes aos convênios da SEMA Nº 02/2018 e 03/2018.

O Convênio SEMA Nº 02/2018 visa a implantação da primeira etapa do novo Aterro Sanitário. Neste sentido, Mosconi foi conversar sobre as adequações técnicas para ver se estava tudo certo para a realização do processo licitatório. Haverá um repasse de R$2,5 milhões do Estado para a obra. A contrapartida do município é de R$ 6 milhões.

Já o Convênio SEMA Nº 03/20118 trata de dois ecopontos para a coleta de materiais recicláveis e resíduos da construção civil. Um na Vila Panorama e outro no Jardim Europa. Neste caso haverá o investimento de R$ 802 mil do Governo do Estado e aproximadamente R$ 140 mil de contrapartida do município.

Bruni diz que essas obras vão permitir o melhor aproveitamento dessas áreas. “Ninguém quer um lixão do lado de casa. As intervenções nesses locais proporcionarão mais segurança, vão melhorar a iluminação e a circulação de pessoas. É um equipamento urbano onde há uma interação entre a Administração Pública e o cidadão”, avaliou Bruni.