Toledo

Sobrecarga faz Hospital Bom Jesus pedir transferência de pacientes

“Não existe outra alternativa. O Hospital Bom Jesus com todos os problemas que tem está suportando essa situação”, cita o diretor clínico.
Esporadicamente o hospital passa pela mesma situação (Foto: Franciele Mota)

A saúde da região Oeste viveu, na última quinta-feira (12), mais um colapso. O Hospital Bom Jesus anunciou em nota, não ter mais capacidade operacional de receber pacientes. Na ocasião a instituição se manifestou que estava com sete pacientes aguardando vaga em Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Desses, três pacientes em ventilação mecânica no pronto-socorro e um paciente com auxílio de oxigênio na sala de emergência.

O comunicado continua que o hospital estava com a UTI 1 e UTI 2 lotadas e reitera que não tem condições estruturais e de recursos humanos para atender novos pacientes em estado crítico. O Hospital Bom Jesus pedia transferência hospitalar com urgência dos pacientes que necessitam de UTI.

 

LOTADO

Segundo o diretor clínico do Hospital Bom Jesus Torao Takada, na tarde desta sexta-feira (13) a situação na instituição já estava mais controlada. Ele conta que quando tem mais de três pacientes entubados, a instituição encaminha um comunicado sobre a superlotação do hospital para os órgãos responsáveis como Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), a 20ª Regional de Saúde e o Ministério Público. “Pela manhã tinham três pacientes entubados e quatro esperando vaga na UTI. Agora a tarde ainda tinha um paciente entubado no pronto-socorro, até três pacientes conseguimos manter no pronto-socorro”, conta.

Quando não há mais vaga o diretor médico comenta que o hospital entra com pedido na central de leitos. “Na nossa regional pelo SUS são 32 leitos aqui no Bom Jesus. Fora esses leitos só tem um no HCO. Então, por enquanto estamos controlando. Não existe outra alternativa. O Hospital Bom Jesus com todos os problemas que tem está suportando essa situação”, finaliza Torao.  

 

REGIONAL

A diretora da 20ª Regional de Saúde (RS) conta que diante da situação apresentada pelo Hospital Bom Jesus, fez contato com a central de leitos para buscar agilidade na procura de vagas para esses pacientes. Ela conta a situação apresentada na tarde da última quinta-feira (12) no hospital acontece sempre quando há sobrecarga no sistema de saúde. “Acontece que tem dias que temos uma sobrecarga principalmente por conta dos acidentes. Mas hoje a situação está sob controle, apesar de termos uma insuficiência de leitos na nossa região”, cita.

Denise enfatiza que a 20ª RS espera o início do funcionamento do Hospital Regional que promete oferecer a princípio dez leitos de UTI para desafogar o Hospital Bom Jesus. “Temos também a possibilidade em Assis Chateaubriand e Palotina com serviço de leitos de UTI ou semi UTI, mas estamos aguardando a finalização das obras”, complementa.

 

PROMOTORIA

No fim da tarde a assessoria do Ministério Público do Estado do Paraná entrou em contato com o JORNAL DO OESTE e informou existir, há algum tempo, um inquérito em trâmite para apurar a falta de leitos na área de abrangência da 20ª Regional. Em relação aos sete pacientes, a Promotoria, através de sua assessoria, informou não ser possível definir algo porque o MP trabalha no âmbito da falta de leitos como um todo e não em casos específicos e que esta é uma decisão restrita á área médica.