Toledo

Termômetros e medidores de pressão com coluna de mercúrio estão proibidos no mercado

Quem possui em casa o termômetro com coluna de mercúrio pode continuar usando, contudo deve ter cuidado ao manusear o aparelho (Foto: Janaí Vieira)

A Agencia Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu a fabricação, importação e comercialização dos termômetros e medidores de pressão que utilizam coluna de mercúrio para diagnóstico em saúde. A medida também inclui a proibição de uso desses equipamentos em serviços de saúde, que deverão realizar o descarte dos resíduos sólidos contendo mercúrio, conforme as normas definidas pela Anvisa Resolução de Diretoria Colegiada - RDC 222/2018 (versão comentada) e Órgãos Ambientais (Federal e Estadual).

A Resolução de Diretoria Colegiada - RDC 145/2017 entrou em vigor no início do mês. Ela não se aplica aos produtos para uso residencial, para pesquisa e para calibração de instrumentos ou uso como padrão de referência. A medida tem como intuito eliminar o uso de mercúrio em diferentes produtos como pilhas, lâmpadas e equipamentos para saúde, entre outros.

Segundo o farmacêutico Jorge Machado, a resolução é uma forma de evitar a contaminação do meio ambiente e, principalmente, das pessoas. “Nas farmácias, a venda mais comum de equipamentos que contêm o mercúrio era de aparelhos para aferir a pressão e de termômetros. Contudo, o mercado já oferece outras opções”.

Machado cita um levantamento realizado em 2018 que aponta a existência de apenas três termômetros e dois medidores de pressão com coluna de mercúrio devidamente registrados na Anvisa. Em contrapartida, o mercado oferece mais de 60 marcas de termômetros digitais e 50 de esfigmomanômetros que não usam esse elemento químico.

 

CUIDADOS

Sobre os riscos a natureza e a saúde humana, o profissional comenta que de acordo com o estudo Diagnóstico Preliminar sobre o mercúrio no Brasil, a exposição a 1,2 mg do elemento químico por algumas horas pode causar bronquite química e fibrose pulmonar em seguida. Ele também pode desencadear problemas ao sistema nervoso central e à tireoide, caso a exposição ao material ocorra por períodos longos.

“Quem possui aparelhos antigos em casa não precisa descarta-los, contudo é preciso tomar cuidado com o manuseio. Se o termômetro estiver em condições não há problema à saúde, mas caso ocorra a ruptura do vidro e a exposição do mercúrio ao ambiente externo e as pessoas, esse acidente pode causar intoxicação”, alerta ao mencionar que a quantia de mercúrio presente em termômetros de uso caseiro não é considerada comprometedora, porém é preciso cuidado.