Toledo

Vereadores pedem mais segurança na rodoviária de Toledo

Um dos pedidos é intensificar a ronda no local (Foto: Franciele Mota)

A segurança do Terminal Rodoviário de Toledo volta a ser pauta na Câmara de Vereadores na sessão da última segunda-feira (26). A presença de mais guardas municipais e de policiais militares na ronda e um ponto fixo de agentes de segurança 24 horas dentro do Terminal foram algumas das indicações apontadas pelos vereadores na Tribuna.
O vereador Gabriel Baierle fez uma indicação pedindo mais intensificação da ronda da Polícia Militar (PM) e da Guarda Municipal (GM) na rodoviária que é, segundo ele, o cartão postal da cidade. “As pessoas ficam inseguras para circular pelo local, tanto moradores de Toledo quanto passageiros de outros municípios. Elas têm uma má impressão e insegurança de frequentar a nossa rodoviária. Precisa reforçar a segurança do local”, cita.
Baierle conta que recebeu vários relatos de pessoas reclamando da insegurança no local e pedindo uma segurança mais eficaz no Terminal. O vereador defende a intensificação da ronda e a presença de agentes de segurança 24 horas no local.
“Além de zelar pelo patrimônio público, a presença da Guarda Municipal evita brigas e outros incidentes”, comenta ao reforçar que o ideal seria que os guardas trabalhassem em duplas ou trios para garantia da segurança deles também. “Fiz um requerimento de indicação e foi enviado ao Executivo. Além da reforma do local é preciso esse ajuste para melhorar o cotidiano das pessoas que transitam pelo local”.

 

MAIS SEGURANÇA – Em relação a indicação do vereador Baierle, o secretário de Segurança e Trânsito João Vianei Crespão explica que a orientação feita aos guardas municipais é de patrulhamento na rodoviária com paradas para abordagens.
O secretário enfatiza que há um ponto fixo com um guarda no período da manhã, das 6h às 12h e que a partir desta terça-feira (27) o local terá dois agentes.
Nos demais períodos, o local é atendido por viaturas. Semanalmente, com a Polícia Militar, são realizadas abordagens quando há aglomerações de pessoas ou reclamações. “Essas operações em conjunto tem o objetivo de coibir o uso e tráfico de drogas e manter o ambiente seguro e ordenado” pontua Crespão.
Com a reforma da rodoviária para acontecer em breve, o secretário esclarece que a proposta é criar um novo posto fixo dentro do Terminal para melhorar as condições de segurança no espaço. Ele ainda pede a população que presenciar situações duvidosas e de insegurança na rodoviária que entre em contato com as autoridades de segurança do município através dos telefones 153 ou 190.

 

PROBLEMA – Para o vereador Marcos Zanetti, o problema do Terminal Rodoviário de Toledo não irá se resolver somente com a presença da Guarda Municipal. A questão, segundo ele, envolve a assistência social. “A guarda vai reprimir a briga, mas quem vai levantar o cidadão ou tirar dessa vida é a Assistência Social. Deve haver um trabalho em conjunto”, comentou na sessão da Câmara na segunda-feira (26).
Zanetti entende que a rodoviária se tornou um local perigoso e que os trabalhadores daquele local têm essa preocupação e medo e que o ambiente, segundo o vereador, está hostil. “O Poder Público precisa tomar providência antes que aconteça uma fatalidade, antes que aconteça algo pior. Está uma terra sem dono. O Poder Público precisa ter um foco maior”, afirma.

 

ATENDIMENTO – Segundo a secretária de Assistência Social e Proteção à Família Marisa Cardoso, há um trabalho feito pela equipe da pasta de abordagem na rodoviária pelo menos duas vezes por semana. A ação é realizada no sentido de conversar com a população em situação de rua, orientar para buscarem seus parentes, mas, segundo a secretária, cada pessoa tem o seu direito de escolha. “Não é um trabalho compulsório, as pessoas possuem o direito de ir e vir. Mas se essas pessoas em situação de rua não quiserem ser acolhidas, não podemos forçar”.
Marisa enfatiza que até hoje não há caso que tenha chegado à Secretaria de alguma situação de insegurança no terminal causada por moradores de rua. “O que pode acontecer, e não descartamos, é a possibilidade de haver pessoas mal-intencionadas infiltradas se passando por morador de rua e que podem estar cometendo atos ilícitos no Terminal”, pontua.
Em Toledo, o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas 2) é o órgão que faz as abordagens e os acompanhamentos da população em situação de rua próximo à rodoviária. A secretária pontua que hoje são aproximadamente 35 pessoas cadastradas que são encaminhadas para atendimento de saúde, que recebem alimentações nos restaurantes populares, kits de higiene, entre outros atendimentos.
“É uma situação bastante delicada, porém, não tivemos relatos de situação de maior gravidade em termos de agressão ou atos ilícitos como roubo ou violência praticados pelos que estão cadastrados e, devidamente, acompanhados pelos Creas 2”, finaliza a secretária.