Parceria entre BRF e BB irá gerar 25 mil megawatts de energia limpa no país

Fruto de um acordo assinado no final do ano passado com o Banco do Brasil, nova linha de crédito especial destinada aos cerca de 10 mil produtores integrados da BRF em todo o País vai gerar 25 mil megawatts de energia limpa nos próximos três anos através da instalação de painéis solares. Para se ter uma ideia, esta quantidade é mais que o dobro da capacidade instalada de geração de energia da usina hidrelétrica de Belo Monte (PA). A expectativa é que a iniciativa gere uma economia de aproximadamente 6.760 MWh/mês, que deixarão de ser adquiridos no mercado cativo de energia e passarão a ser gerados nas próprias propriedades.

Os recursos a serem disponibilizados na primeira etapa da parceria somam R$ 200 milhões, e devem ser aplicados exclusivamente para cerca de 520 projetos de aquisição e instalação de painéis solares nas propriedades – com o valor podendo ser aumentado conforme a aderência dos produtores.

“Vamos executar nossa estratégia de crescimento combinando geração de valor econômico com utilização cada vez mais eficiente dos recursos naturais”, afirma Carlos Moura, vice-presidente Financeiro e de Relações com Investidores da BRF. “O Banco do Brasil tem sido um grande parceiro e está engajado na construção de soluções abrangentes e sustentáveis para os nossos integrados”, destaca.

A BRF conta com produtores integrados nos estados do Paraná, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Santa Catarina e Goiás.

Atualmente, 93% da energia utilizada nas operações da Companhia vêm de fontes renováveis e há o compromisso de que em 10 anos, 50% da energia consumida pela BRF seja originada com autogerarão por fontes limpas como a eólica e a solar.

“Essa parceria reforça nosso compromisso de fomentar a transição dos nossos clientes para produção mais sustentável, aumentando a matriz energética limpa. Trata-se de uma iniciativa pioneira e conjunta com a BRF e todos seus integrados para promover a geração de energia renovável nas unidades de produção com o financiamento de painéis solares”, afirma João Rabelo Jr, Vice-Presidente de Agronegócios e Governo do Banco do Brasil.

SÃO PAULO