Assembleia Legislativa homenageia os 150 anos de fundação do Jockey Club do Paraná

0 188

A sessão solene desta quarta-feira (29), proposta pelos deputados Anibelli Neto (MDB) e Luis Corti (PSB) celebrou os 150 anos de fundação do Jockey Club do Paraná, entidade que administra e coordena a atividade turfística no estado. É considerada a segunda entidade, desta natureza e atividade, mais antiga do Brasil.

O proponente da sessão solene e presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Assembleia Legislativa, deputado Anibelli Neto (MDB), comentou sobre a homenagem e destacou a história de uma das mais antigas entidades esportivas do Paraná. “Na minha infância frequentei muito o Jockey Club do Paraná junto com o meu avô Heitor Baggio, que hoje é um dos homenageados, porque era o proprietário do Aras Diamante. E aqui estou encontrando amigos, conhecidos, lembranças do século passado, relembrando histórias. Estou muito feliz porque se hoje sou médico veterinário, foi por influência direta do meu avô materno, Heitor Baggio. Ele foi meu padrinho, meu amigo e acabei aceitando o conselho dele, sendo médico veterinário. Fico muito feliz por ser um dos proponentes junto com o deputado Corti, dessa homenagem mais do que justa ao Turfe Paranaense pelos 150 anos do Jockey Club do Paraná. Na sua trajetória, na sua luta, muitas conquistas, pessoas fantásticas que presidiram e uma vida de realizações. Não só o deputado Anibelli, mas todo o Poder Legislativo, reverenciamos, valorizamos e fizemos esta justa homenagem ao Jockey Club do Paraná”.

Igualmente proponente da sessão solene e presidente da Comissão de Minas, Energia e Água da Assembleia Legislativa, deputado Luis Corti (PSB), ressaltou as comemorações dos 150 anos do Jockey Club do Paraná. “É importante trazer para a Assembleia essa homenagem aos 150 anos do Jockey Clube que cresceu junto com o estado do Paraná. Eu fiz um histórico dos Jockeys Clubes pelo mundo, começando pela Inglaterra para chegar no Brasil. No Brasil, o primeiro foi o Jockey Club Fluminense no Rio de Janeiro e nós fomos o segundo mais antigo do país. Como médico veterinário, já fiz clínica nesses animais e sinto, com propriedade, essa boa dinâmica que existe entre o homem e o animal e a presença do hipismo como prática do desporto. Estou muito feliz de poder prestar esta homenagem ao Jockey Club do estado do Paraná”.

História

A história do Jockey Club do Paraná teve início no dia 2 de dezembro de 1873, com a eleição de sua primeira diretoria. O primeiro Grande Prêmio da história do turfe do Paraná recebeu a denominação de Grande Prêmio “Dezenove de Dezembro”. A prova foi instituída pela Lei Provincial n.º 866 de 17 de fevereiro de 1886.

O turfe local atravessou uma fase sem destaque, mas a partir de 1940, com a importação de animais argentinos e uruguaios, além da vinda de um lote de potros e potrancas de criação de Linneo de Paula Machado, melhorou muito o nível técnico das corridas. Por isso, no início da década de 40, foram instituídas algumas das provas mais importantes do calendário turfístico paranaense, como o Grande Prêmio “Paraná” e os Clássicos “Primavera”, “Carlos Dietzsch” e “Manoel Ribas”.

O atual presidente da entidade, senhor Roberto Belina compareceu na cerimônia e comentou a respeito da homenagem prestada pela Assembleia Legislativa. “Como atual presidente do Jockey Club, receber esta homenagem nos 150 anos é uma honra. Os hipólogos pelo mundo são antigos e a paixão por cavalos de corrida também. O Jockey Club só tem que agradecer ao deputado Anibelli Neto, ao deputado Luiz Corti, e ao presidente da Casa, deputado Ademar Traiano. Receber essa homenagem é também abrir as portas do Jockey Club para a Assembleia legislativa porque o Jockey sempre foi a casa dos curitibanos e dos paranaenses”.

Estrutura atual

O Jockey Club do Paraná, atualmente está localizado no Hipódromo Tarumã que teve seu projeto desenvolvido por Edmir Silveira D’Ávila em 1955. Sua estrutura impressiona sendo uma das mais importantes obras da arquitetura modernista de Curitiba. Em 10 de março de 2005 tornou-se patrimônio tombado. Em 2008, foi realizada uma revitalização que valorizou o projeto inicial e marcou a história do Turfe Paranaense.

O excelente estado da raia de areia do Tarumã proporciona uma condição diferenciada de treinamento, favorecendo a preservação física dos atletas e proporcionando campanhas mais eficazes. Muitos proprietários iniciam seus potros e os treinam em Curitiba, direcionando as campanhas aos demais hipódromos, de acordo com potencial locomotor dos cavalos. A grande proximidade entre Curitiba e São Paulo, apenas 335 quilômetros de distância, faz com que exista um forte intercâmbio entre os hipódromos, sendo numerosos os animais que competem no eixo Tarumã / Cidade Jardim, na maioria das vezes, com extremo sucesso.

Mesa

A mesa de honra da sessão solene ficou composta pelo proponente e presidente da Sessão Solene, deputado Anibelli Neto; pelo também proponente, deputado Luis Corti; pelo presidente do Jockey Club do Paraná, senhor Roberto Belina; a vice-presidente do Jockey Club do Paraná, senhora Sônia Gama Ruberti Birskis; pelo presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Paraná, senhor Adolfo Yoshiaki Sasaki; presidente do Sindicato dos Médicos Veterinários do estado do Paraná (Sindivet/PR), senhor Cezar Amin Pasqualin ; pelo secretário do Conselho de Desenvolvimento e Integração sul (Codesul) e ex-governador do Paraná, Orlando Pessutti; pelo jornalista de turfe há mais tempo na ativa no estado, senhor Luiz Renato Ribas da Silva, pelo vereador de Curitiba, Rodrigo Reis.

Da ALEP

Deixe um comentário