PF faz buscas contra prefeito de Niterói por fraudes e corrupção

A Polícia Federal (PF) e o Ministério Público Federal (MPF) do Rio deflagraram na manhã desta quarta-feira, 16, a Operação Transoceânica para investigar dois esquemas criminosos mantidos desde 2013 na Prefeitura de Niterói (RJ) e no Tribunal de Contas do Estado, com licitações marcadas por fraude e por corrupção, além do pagamento de propinas a conselheiros da corte de contas.

Cerca de 60 agentes cumprem 11 mandados de busca e apreensão em órgãos públicos, empresas e residências nas cidades do Rio de Janeiro, Niterói e São Paulo. Entre os alvos está o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves (PDT), e outros 11 alvos, entre empresas e pessoas físicas.

As ordens foram expedidas pelo desembargador federal Marcello Granado, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2), que determinou ainda a quebra dos sigilos telemático, bancário e fiscal dos investigados.

De acordo com a PF, as investigações miram em supostas irregularidades na contratação de obras de engenharia referente à obra BRT Transoceânica Charitas-Engenho do Mato e também em contratos de publicidade efetuados pela Prefeitura de Niterói.