Presidente Bolsonaro pede voto para irmão de Alcolumbre em Macapá

O presidente Jair Bolsonaro pediu voto para Josiel Alcolumbre (DEM) no segundo turno da eleição para a prefeitura de Macapá (AP), que ocorre neste domingo, 20. O candidato é irmão do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e enfrenta na disputa o Dr. Furlan, do Cidadania. Em um vídeo, que foi publicado pelo site O Antagonista, Bolsonaro disse que Josiel seria um prefeito “perfeitamente afinado com o presidente da República” e elogiou o senador.

“Eu peço a você que está indeciso, que leve em conta primeiro quem está do outro lado, qual é o senador que está apoiando a outra chapa, que sempre atrapalhou a gente”, afirmou Bolsonaro, em referência a Randolfe Rodrigues (Rede-AP), que apoia Dr. Furlan. “Neste momento, eu peço a você, do fundo do coração: vote em Josiel para prefeito de Macapá. Um prefeito perfeitamente afinado com o presidente da República”, emendou.

No vídeo, Bolsonaro também elogiou o irmão de Josiel. “Ao longo desses dois anos, eu tive contato direto com o senador Davi Alcolumbre, presidente do Senado. Em todos os momentos que o governo precisou do Senado, o Davi nos socorreu. Ele foi um grande parceiro nessa relação”, disse o presidente.

O segundo turno entre Josiel e Dr. Furlan ocorre quase um mês após o fim das eleições municipais porque o pleito foi adiado em virtude da crise no abastecimento de energia do Amapá. No primeiro turno, o irmão do presidente do Senado liderou com 29% dos votos, enquanto o adversário somou 16%.

De acordo com pesquisa Ibope divulgada nesta quinta-feira, 17, Dr. Furlan tem 56% dos votos válidos no segundo turno e Josiel soma 44%. A sondagem, encomendada pela Rede Amazônica, tem nível de confiança de 95% e margem de erro de quatro pontos, para mais ou para menos. Foram ouvidos 602 eleitores de Macapá entre os dias 15 e 17 de dezembro.

O presidente do Senado, por sua vez, articula o apoio a um candidato para sucedê-lo no comando da Casa, depois que a possibilidade de ele concorrer à reeleição foi vetada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).