Editorial
A lei e a inclusão

Há 22 anos, o show pirotécnico do dia 31 de dezembro acontece em Toledo com uma grande adesão de público, no entanto, desde o ano passado a realização do show dos fogos entrou em debate. Uma lei que dispõe sobre a proibição de fogos de artifício e similares, com ruídos sonoros foi promulgada em março deste ano.

Antes da lei ser aprovada, gerou muita polêmica. Mesmo assim, os vereadores – por unanimidade - a aprovaram e o Executivo sancionou a lei. Mesmo assim, o debate continua. Isso porque a realização do show pirotécnico em Toledo ficou em “xeque”. A administração municipal não consegue se adequar à lei que o próprio Executivo sancionou e, agora, uma nova audiência foi realizada no dia 3 para encontrar uma forma de realizar a “festa da virada”.

O debate foi intenso. Executivo e Legislativo tentam alterar a lei para que sejam permitidas a queima, soltura e manuseio de fogos de artifício e similares com baixo estampido; diferente do previsto em lei: de até 65 decibéis. Isso permitiria a realização do show pirotécnico.

No entanto, na audiência surgiram outras questões até então não debatidas. A lei é uma forma de inclusão e respeito com aqueles com sensibilidade ao barulho dos fogos. Mas é uma inclusão seletiva, pois há outras pessoas que também não conseguem aproveitar a festa como deficientes auditivos e visuais.

E aí entra outra questão como tentar ser inclusivo em um momento de lazer e não prosseguir com essa mesma mentalidade para outras áreas. Afinal, há deficientes que não conseguem atendimentos de qualidade nas instituições municipais de serviço público, porque não há um intérprete de libras, por exemplo. Outros ainda encontram dificuldades de locomoção na cidade, um assunto, em constante, debate.

É fato a festa ser importante para a economia local. Sem dúvida nenhuma. É tradicional, mas há muito mais que uma festa de fim de ano. É necessário ter cuidado com o que é público, com o que é do povo. É necessário ter respeito como o outro. É necessário debater uma lei, mas analisar também em um contexto mais amplo como acontece a inclusão em nosso município.