Coluna do Editor
Coluna do Editor 05/07/19

Interior

O Governo do Paraná promoveu na quarta-feira (3) a terceira reunião com chefes dos seus núcleos do interior, desta vez da região Oeste. Participaram mais de 30 representantes das diversas áreas do governo nas regiões de Cascavel, Toledo e Foz do Iguaçu. Os encontros mensais têm o objetivo de ampliar a integração e alinhar informações das lideranças do governo no interior do Estado.

 

Exemplo

“Vocês são nossos olhos, ouvidos e a cara do governo na ponta. Temos que ter sinergia e falar a mesma língua para possamos construir, juntos, um Paraná inovador”, afirmou o chefe da Casa Civil, Guto Silva. Ele orientou que as chefias dos núcleos sigam o exemplo do governo, que reúne todo o primeiro escalão uma vez por semana. “É importante que vocês se reúnam periodicamente para terem um panorama geral do que está acontecendo na região, troquem experiências e falem dos desafios que estão enfrentando”, sugeriu.

 

Música

Um Oficinão de Música será realizado nesta sexta-feira (5), às 10h30. O objetivo é estimular a interação e sociabilização dos pacientes, melhorando a autoestima e contribuindo para a estabilidade do quadro psíquico. A atividade será no Caps II da avenida Maripá, 7001, no Jardim Filadélfia.

 

Visita

O empresário Luiz Ferreira visitou o Jornal do Oeste nesta quinta-feira (4). Entre uma conversa e outra, claro, a política foi tema dominante e Ferreira, em seu melhor estilo, tem um palpite sobre quem será o próximo prefeito de Toledo. Devidamente anotado!

 

Mais visita

Quem também esteve no Jornal do Oeste nesta quinta foi o presidente dos Progressistas, o advogado Leandro Nesello. Animado com os últimos encontros da legenda, ele frisou que o partido está disposto a colaborar no processo eleitoral de 2020 sem necessariamente estar à sua frente como cabeça de chapa.

 

Momento

No entendimento de Nesello, hoje o candidato natural a prefeito deveria sair de uma indicação do PSD por ser o partido do governador Ratinho Junior.

 

Chapa completa

Para vereador o Progressistas terá, ainda de acordo com Nesello, chapa completa e o objetivo é muito claro: formar uma bancada com pelo menos cinco vereadores. Quem sabe chegar até mesmo a seis.

 

Fila

O boom da safra de milho pode ser facilmente percebida no tamanho da fila para descarregar na unidade da BRF em Toledo. Na quarta pela manhã chegava à Primeiro de Maio.

 

55 anos

Por falar na BRF, durante a sessão ordinária de segunda-feira, Leoclides Bisognin (MDB) destacou que nesta data se comemorava os 55 anos da chegada da Sadia (hoje BRF) a Toledo.

 

Radar

Genivaldo Paes (PDT) afirmou no trânsito de Toledo a solução não é implantar lombada ou paver em elevação, mas sim radares. “Radar não multa ninguém, quem multa é o próprio motorista”, afirmou.

 

Birra

Ainda no campo do trânsito, Edmundo Fernandes (PRB) cobrou mais uma vez mudanças na rua São João, no cruzamento com – Spaço do Lar – onde no sábado aconteceu um acidente fatal. Segundo ele, há tempos ele vem pedindo à Secretaria de Segurança e Trânsito e a resposta é que “tem que fazer projeto e estudo. Aqui parece que a gente não tem força, tem birra. Parece que estão medindo força. Mas estamos medindo força para o melhor para a sociedade”, reclamou. E bastante!

 

Unioeste

Marli do Esporte (PCdoB) defendeu os investimentos na Unioeste e sua importância para o desenvolvimento de Toledo. “Muitas pessoas que nunca pisaram numa universidade pública precisam lembrar que muito da riqueza do município vem da Unioeste”, comentou a vereadora, destacando que todas as universidades são importantes para o município.

 

Pioneirismo

Albino Corazza Neto (PDT) lembrou que foi a Unioeste quem trouxe para a região o primeiro curso de piscicultura também de assistência social.

 

Quadra abandonada

A quadra na Praça Chico Mendes virou motivo de reclamação do vereador Gabriel Baierle (PTB). Ele frisou que foi feita a reforma, pronta há mais ou menos três meses, mas ainda não foram levados os equipamentos esportivos. “Simplesmente foi feito e largado. Um passa para o outro e ninguém resolve a situação”. Gabriel disse ter pedido informações em três secretarias e ninguém sabia. “Chega a ser cômica a situação”, criticou.