Coluna do Editor
Coluna do Editor 13/08/19

Planejamento

Sobre o aumento salarial aos servidores, o governador Ratinho Junior explicou, durante sua passagem por Toledo na última sexta-feira, que um diálogo está sendo mantido. “Eu não posso dar aumento. 1% significa R$ 250 milhões a mais na folha. Como vou conversar com o empresário. Vamos fazer em cima de um cronograma e de um planejamento sem quebrar o Estado. Nós queremos gerar trabalho e tornar o Paraná mais inovador”.

 

Cadê?

Ainda sobre o evento da última sexta-feira, recebi muitas mensagens e ouvi muita gente reclamando sobre a ausência do deputado federal José Carlos Schiavinato. Para quem está de fora, a impressão é que ele e o prefeito Lucio de Marchi já não falam mais a mesma língua, ainda mais porque nos últimos eventos do município o deputado simplesmente desapareceu.

 

Espaço

Essa ausência de Schiavinato foi bastante percebida por quem esteve nos eventos com a presença do governador Ratinho Junior na semana passada, especialmente porque deputados de outras regiões apareceram para ocupar o espaço.

 

Representação

Aliás, Lucio durante seu discurso, deixou muito claro que hoje os representantes de Toledo junto ao Governo do Estado são os deputados Marcel Micheletto e Guto Silva (licenciado por estar na Chefia da Casa Civil).

 

Na capital

E o trio deverá se encontrar esta semana em Curitiba, para onde o prefeito viaja em busca de novos convênios.

 

Fragilidade

Esse cenário, insisto, reforça apenas o atual momento de fragilidade política de Toledo no âmbito estadual. Hoje a cidade está refém da boa vontade de quem tem poucas raízes – para não dizer nenhuma raiz – em Toledo.

 

Cerimonial

Um bom exemplo é que o cerimonial do governador não deixou o presidente da Câmara de Toledo discursar, mesmo o evento sendo na sede do Legislativo municipal e o presidente ter insistido. Por que será?

 

Estrada do Colono

O deputado estadual Marcel Micheletto (PL), defendeu a reabertura da Estrada do Colono. A posição voltou a ser defendida durante debate promovido pela Frente Parlamentar pela reabertura da Estrada-Parque Caminho do Colono, ocorrida na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep). Micheletto afirmou que ser favorável a reabertura do trecho de 17 quilômetros que corta o Parque Nacional do Iguaçu ligando os municípios de Capanema e Serranópolis do Iguaçu, no Sudoeste do estado, como forma de preservar o meio ambiente e promover a interação da população entorno do parque.

 

Audiências

Em comum acordo, os deputados definiram que duas audiências públicas (15 e 16 de agosto) serão realizadas, em Capanema e Medianeira, respectivamente, em uma parceria da Frente Parlamentar pela reabertura da Estrada-Parque Caminho do Colono e da Comissão de Direitos Humanos e da Cidadania. Ainda foi cogitada a ida dos membros da frente à Brasília em apoio a dois projetos de lei que tramitam no Congresso Nacional e tratam da reabertura da estrada,

 

História

A rodovia PR-495 pertence ao Governo do Paraná e corta, em 17,6 quilômetros, o Parque Nacional do Iguaçu entre os municípios de Capanema e Serranópolis do Iguaçu. Ela é uma antiga ligação entre as regiões Oeste e Sudoeste paranaenses. O trecho, um antigo caminho utilizado por colonos que vinham do Rio Grande do Sul em direção às regiões mais ao norte do país, foi transformado em estrada no ano de 1950. A via está fechada por ordem judicial desde 1986.

 

Microempreendedores individuais

Mesmo com o setor industrial tendo perdido milhares de vagas de emprego, ele ainda é um dos que mais cresce segundo dados do Empresômetro, empresa de inteligência de mercado que mantém o mais atual banco de informações de empresas no país. Segundo esses dados, o setor responsável por movimentar mais de 1,3 trilhão de reais por ano, 59% do total de indústrias brasileiras são microempreendedores individuais. São pessoas que formalizaram sua situação como artesãos, vinagreiros, fabricante de sucos e velas, dentre outras possibilidades para esse tipo de empresa.