Mauro Picini
Mauro Picini Ligado em Você 05/10/19

Ligado em você especial Miss Guerreira Rosa 2019...

Uma noite marcada por muita emoção. Assim foi o evento de abertura do Outubro Rosa, o 2º Pausa para o Rosa, na terça-feira (01), promovido pela Associação Comercial e Empresarial de Toledo (Acit), por meio da Diretoria de Responsabilidade Social e Ambiental, em parceria com o Projeto Amigas do Bem Viver e o Sesc, no Salão Mafalda Eventos, em Toledo.

Com um público de aproximadamente 350 pessoas, a proposta foi chamar a atenção para a prevenção ao câncer de mama e também homenagear as mulheres. Foi realizado o 1º Concurso da Miss Guerreira, que teve 28 participantes, todas mulheres em tratamento ou que já superaram o câncer.

Foram convidados como jurados Jaqueline Engster da Silva Corrêa, diretora independente da Mary Kay; Karin Anabel Wrasse, coordenadora do Curso de Estética e Cosmetologia da Unipar; Mauro Picini, jornalista e apresentador do programa Ver Mais, da RICTV; Elessandra Dartora, miss Paraná 1994 e Miss Brasil 1995, sócia-diretora da Revista Friends e Cristina Oliveira, produtora visual e organizadora do concurso de Miss Toledo.

Ao final, como uma surpresa ao grupo, todas as mulheres receberam a faixa de Miss Guerreira. “Foi uma maneira de prestar uma homenagem a todas estas mulheres que enfrentam de forma tão corajosa esta enfermidade. Todas merecem ser coroadas como Miss Guerreira”, disse a diretora de Responsabilidade Social e Ambiental da Acit, Maria Rita Pozzebon.

Superação - Outro momento de grande emoção foram os depoimentos de duas guerreiras. Ana Cristine Nardi relatou como enfrentou o tratamento do câncer de mama, diagnosticado em outubro de 2017, aos 32 anos de idade, após um autoexame. Naquele mesmo ano, ela fez cirurgias para a retirada do nódulo e outra para o esvaziamento axilar. Em janeiro de 2018 começou as quimioterapias, foram quatro ciclos da vermelha e quatro ciclos da branca e concluiu o tratamento em fevereiro deste ano.

Ana Cristine relatou que o câncer fez uma transformação em sua vida. “Esta enfermidade chega sem pedir licença e não pergunta se a gente quer mudar, ele simplesmente impõe a mudança. Todos os dias me lembro que tive câncer, sejam pelas cicatrizes, pela transformação ou pelos cabelos que não são mais os mesmos. Mas todos os dias tenho a oportunidade de me olhar no espelho e dizer que eu venci”, afirma.

Ela ressaltou a importância da prevenção. “A mensagem que gostaria de deixar é a importância de nos cuidarmos, de estarmos atentas às mudanças do nosso corpo, não ter medo ou vergonha de fazer o autoexame, de conversar com o médico, de pedir para fazer os exames. Quanto antes for o diagnóstico, a chance de cura é muito maior”, frisa Ana Cristine.

Leila Denise Dullius também relatou que após o diagnóstico e início de tratamento, foi difícil aceitar a situação, contudo, com o apoio do marido, dos familiares e amigos, tudo foi se tornando mais fácil. “Me olhar no espelho, sem cabelo, o corpo diferente, era difícil encarar.”

No entanto, após participar do evento do Outubro Rosa do ano passado, descobriu uma nova forma de encarar a doença. “Desfilei careca e fui tão encorajada pelas amigas e por todos, me fazendo sentir que verdadeiramente eu era uma guerreira, que a partir dali passei a me aceitar e não usei mais o lenço”, relata.

Segundo Leila, conviver com as guerreiras do Projeto Amigas do Bem Viver, ter otimismo e fé faz toda a diferença. “Para superar tudo isso, nada melhor do que compartilhar as dificuldades com quem também enfrenta a doença, ter fé, otimismo e bom humor para a vida ficar mais leve.”

Como falou e também demonstrou no evento, hoje Leila enfrenta os palcos e o público sem constrangimento de desfilar ou falar, pois se sente bem com ela mesma. O cabelo também já cresceu e brinca: “Já tem uns cachos que dá para fazer trança!”

 

Projeto Amigas do Bem Viver - Todas as participantes do Concurso Miss Guerreira são integrantes do Projeto Amigas do Bem Viver. O grupo é composto por voluntários e pessoas que passaram ou passam pelo tratamento contra o câncer. O símbolo do projeto é a borboleta e no desfile foi representada pela guerreira Adelia Ribeiro de Carvalho.

Para a coordenadora do Projeto Amigas do Bem Viver, Terezinha (Tere) Nucitelli, o evento proporcionou momentos de grande emoção e valorização. “O evento se resume em poucas palavras: emoção e gratidão! Nossas guerreiras se sentiram verdadeiras misses, valorizadas. Foi uma troca de energia incrível. Só temos a agradecer a todos os que se envolveram na sua realização e também participaram. Nossa admiração a todos”, destaca.

O evento teve também a participação de integrantes da Orquestra de Viola Caipira, Glaucele Belotto, acompanhada da filha Maria Eduarda. Glaucele também passou pela superação do câncer e reencontrou na música a cura para depressão e a alegria de viver.

O Projeto Amigas do Bem Viver contou com seus parceiros para preparar as guerreiras para o concurso, com trajes e calçados, maquiagem e penteados. São as empresas Valentinn Moda Masculina e Feminina, Calçados Cristo Rei, Mary Kay, Spaço da Beleza e Escola de Cabeleireiros Cleide Helena. Também colaboraram os fotógrafos Juliano Kelniar e Franciele Bock, que fizeram a cobertura fotográfica, e a empresa Andrioli Personalização e Locação de Veículos, que fez o transporte das guerreiras para o evento. Agradecimento pelas fotos Juliano Kelniar e Franciele Book.

 

Galeria de Imagem