Mauro Picini
Mauro Picini Sociedade + Saúde 05/06/19

31 de maio - Dia mundial sem tabaco

“Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), em 2018, o Brasil registrou 478 mil infartos e internações devido a doenças cardíacas e 378 mil devido a doenças pulmonares provocadas pelo cigarro”.

O tabagismo é reconhecido como uma doença crônica causada pela dependência à nicotina presente nos produtos à base de tabaco. Estima-se que 5,4 milhões de pessoas morrem todos os anos em decorrência do cigarro e um terço da população mundial adulta é fumante. Somente no Brasil, aproximadamente, 156 mil pessoas perecem anualmente em decorrência do tabagismo, o que corresponde a 12% do total de mortes no país.

“É importante incluir também o tabagismo passivo ao abordarmos o conceito, já que corresponde a terceira causa de morte evitável no mundo, perdendo apenas para o tabagismo ativo e o alcoolismo.”, explica o cardiologista do Hospital Albert Sabin, Dr. Thiago Librelon Pimenta.

O tabagismo passivo refere-se ao ato de inalar a fumaça de uso de tabaco proveniente de um fumante, fazendo com que os malefícios do fumo ocorram mesmo em não fumantes. De acordo com pesquisa realizada no Brasil pelo Instituto Nacional do Câncer (INCA), pelo menos sete brasileiros que não fumam, morrem a cada dia por doenças provocadas pela exposição passiva à fumaça do tabaco.

“Para se ter uma ideia da gravidade do problema, o tabaco causa mais mortes do que a soma de todas os óbitos por HIV, malária, tuberculose, alcoolismo, homicídios e suicídios em adultos. A fumaça dos derivados do tabaco possui cerca de 4.720 substâncias. Em conjunto, são responsáveis por mais de 50 doenças. Os males causados afetam de modo importante cada sistema do organismo”, complementa o Dr. Thiago.

As primeiras manifestações do tabagismo no organismo podem ser alterações mais leves, como coloração típica amarelada na face e dedos da mão, envelhecimento da pele, osteoporose, artrites, mau hálito, inflamações ou infecções na boca e dentes, impotência sexual masculina e manchas no corpo. Porém, com o passar do tempo, consequências mais graves são percebidas, como acidente vascular cerebral, infarto, úlcera, aneurisma e câncer.

O tratamento para a doença consiste, principalmente, na motivação do paciente, que deverá desejar com ímpeto a interrupção do vício. Deverão ser considerados como motivadores para a cessação do tabagismo, os benefícios imediatos e a longo prazo na saúde, nas relações familiares, no convívio social, ou mesmo na extinção dos gastos financeiros com o vício.

“Deve-se considerar como essencial, ainda, o auxílio de profissionais habilitados a dar o apoio psicológico e psiquiátrico necessários. Em casos em que haja indicação de medicações, essas assumem papel importante no controle de sintomas de abstinência. A avaliação e acompanhamento pelo especialista torna três vezes maior a chance de sucesso em abandonar o cigarro”, aconselha o Dr. Pimenta.

Enfim, manter-se longe do tabaco é uma decisão inteligente e que contribuirá para a boa manutenção da saúde ao longo de toda a vida. Inclui-se, também, várias outras formas de consumo além do cigarro, não menos nocivas, como o narguilé, o charuto o cachimbo e o ato de mascar.

Fonte: Dr. Thiago Librelon Pimenta- Cardiologista do Hospital Albert Sabi

 

Hospital se torna referência na zona oeste de São Paulo

Com 40 anos de experiência, Hospital Albert Sabin passa por revitalização completa e se posiciona como principal polo de saúde da Lapa e região.

O  Hospital Albert Sabin foi totalmente reformulado, e conta agora com uma infraestrutura completa, com a maior comodidade possível, fator que ajuda amenizar as patologias, pois o bem-estar dos pacientes é fundamental para o sucesso de cada tratamento.

Hoje, totalmente humanizada, a UTI conta com 18 leitos, sendo 2 de isolamento (1 com pressão positiva e outro com pressão negativa), capaz de atender qualquer tipo de patologia com segurança. Além da UTI, o HAS está finalizando a revitalização da fachada, que será totalmente acessível a deficientes físicos e visuais, incluindo piso tátil e rampas para o acesso a cadeirantes.

Com excelência de atendimento e Certificado Nacional de qualidade, o HAS oferece também total segurança em seu Centro Cirúrgico, que dispõe de avançados recursos tecnológicos, com instalações completas. Realiza exames laboratoriais de imagens e cardiológicos, conta com equipe de nutricionistas, atendimento 24 horas em diversas especialidades médicas, incluso suporte fisioterapêutico.

Entre os serviços de diagnose e terapia, o hospital –  novamente com o que há de mais moderno em equipamentos e com extrema qualidade profissional – oferece Exames Laboratoriais, Anatomia Patológica, Broncoscopia, Colonoscopia, Doppler Transcraniano, Ecocardiograma, Ecodoppler, Eletrocardiograma, Endoscopia Digestiva Alta, Hemodinâmica, Prova de Função Pulmonar, Quimioterapia, Radiologia em Geral, Ressonância Magnética/Angiorressonância, Tomografia Computadorizada/Angiotomografia e Ultrassonografia.

Concluindo sua estrutura, o Hospital Albert Sabin ainda dispõe de amplo Pronto Atendimento clínico e ortopédico, Internações eletivas e de urgência, e cirurgias nas mais diversas especialidades. Tudo com a busca incessante da satisfação total de todos os usuários, sejam pacientes, médicos ou visitantes.

 

Serviço

Endereço

Rua Brigadeiro Gavião Peixoto, 123 – Lapa – São Paulo – SP

Central de atendimento

(11) 3838 4655

Site

http://www.hasabin.com.br

 

Convênios atendidos

ACM SÃO PAULO - ALLIANZ SAÚDE – AMEPLAN – APCEF - AXA ASSISTANCE - BRADESCO SAÚDE - BRASIL ASSISTÊNCIA – CAASP – CABESP - CAU/SP - CARE PLUS - CENTRAL NACIONAL UNIMED – CET - CRECI/SP - CRUZ AZUL SAÚDE - FUNDAÇÃO CESP - GAMA SAÚDE - GEAP SAÚDE - GRUPO NOTRE DAME INTERMÉDICA - GOLDEN CROSS - LIFE EMPRESARIAL SAÚDE – MEDISERVICE – OAB – PLASAC – PORTOMED - PORTO SEGURO - SANTAMÁLIA SAÚDE - SÃO CRISTÓVÃO SAÚDE - SBC SAÚDE – SEPACO - SIND. DAS BORRACHAS - SISTEMA TOTAL DE SAÚDE - SOMPO SAÚDE – SULAMÉRICA - UNIMED FESP – UNIMED SEGUROS

 

PAM comemora cinco anos de atuação em Toledo

O encontro reuniu representantes das empresas e membros do Corpo de Bombeiros

Representantes das empresas que fazem parte do Plano de Auxílio Mútuo de Toledo (PAM) se reuniram na terça-feira (28) para comemorar os cinco anos de atuação do projeto. O encontro aconteceu na sede da Primato Cooperativa Agroindustrial e também contou com a participação de membros do Corpo de Bombeiros de Toledo – 2º Sub-Agrupamento (SGB).

O PAM é uma ação voluntária de empresas e indústrias da cidade, e tem a finalidade de disponibilizar recursos materiais e humanos para dar suporte ao Corpo de Bombeiros em situações de emergência. A indústria farmacêutica Prati-Donaduzzi e a Centralpack Embalagens participam ativamente desde sua implantação em Toledo em maio de 2014.

O Comandante do Corpo de Bombeiros, Luís Eduardo Zarpellon, fez uma retrospectiva dos trabalhos. Ele apresentou resultados, conquistas e principalmente os benefícios que o Plano trouxe às empresas e quando o assunto é fortalecimento da cultura de prevenção e principalmente o treinamento de pessoas para agirem em emergências.

A Presidente do PAM na Gestão 2019 e colaboradora da Centralpack Embalagens, Cristiane Theobald, aproveitou a ocasião para agradecer o apoio do Corpo de Bombeiros. “As atividades realizadas buscam o fortalecimento da cultura da segurança nas empresas e o Corpo de Bombeiros é uma ponto focal nisso, pois compartilha conhecimentos por meio de treinamentos, simulados e outras atividades. Comemorar cinco anos é gratificante, isso evidencia um trabalho que vem sendo feito em conjunto, e enquanto presidente sinto orgulho de onde conseguimos chegar”, revela.

Atualmente o PAM conta com a participação de 13 empresas. Mensalmente os Brigadistas dessas empresas participam de treinamentos com o intuito de estarem capacitados para dar suporte ao Corpo de Bombeiros e também atenderem situações nas empresas quando solicitados.

 

Uniprime Pioneira do Paraná se mobiliza para combater a poluição sonora

“O que os olhos não veem, os ouvidos podem sentir”. Foi com esse apelo que milhares de pessoas foram sensibilizadas sobre os males que o excesso de sons pode acarretar a saúde. Elas foram abordadas durante a mobilização que os colaboradores das nove agências da Uniprime Pioneira do Paraná realizaram.

Por mais um ano, a cooperativa colocou em prática, junto à comunidade, ações que visam a orientação sobre a poluição sonora utilizando canais de comunicação como rádios, jornais e busdoor, entrega de folders com informações relevantes sobre o assunto, e palestras com profissionais que se sensibilizaram com a causa e contribuíram com o seu conhecimento no projeto.

 

Na prática, com a comunidade

Foi assim que colaboradores de uma indústria em Santa Helena foram abordados. Eles receberam informações de uma fonoaudióloga no dia que estavam organizados para fazer o exame periódico. Ela aproveitou o conteúdo exposto no folder elaborado pela Uniprime para reforçar suas orientações. “Foi uma ação de grande impacto na rotina dessa empresa. Para nós, foi muito satisfatório poder ter colaborado, de alguma forma, com o bem-estar e a saúde dessas pessoas”, contou o gerente da agência de Santa Helena Emerson Bortoleti.

Já em Guaíra, o foco foram os adolescentes de um colégio. Cerca de 200 alunos e seus professores interagiram com uma fonoaudióloga e de forma dinâmica foram sensibilizados sobre a importância de cuidar da audição, especialmente sobre o uso em excesso de fones de ouvido. “Foi um momento de grande aprendizado e na forma que eles mais gostam: perguntando, contando fatos, debatendo. Os jovens tiraram suas dúvidas e levaram para casa o nosso folder que foi entregue aos pais. Saímos de lá com a sensação de dever cumprido”, relatou a gerente da agência, Eliana Andreghetti da Costa.

 

Importância aos ouvidos

A iniciativa da Uniprime Pioneira do Paraná tem por objetivo mostrar à população que a poluição sonora é um dos maiores problemas do mundo moderno e a terceira principal fonte de poluição do planeta. “O nosso convite é para que atentemos mais para a nossa saúde auditiva, tão importante para a qualidade de vida”, endossa a assessora da Uniprime Marcia Regina Lunkes Silva, responsável pela campanha.

Estudos mostram que cerca de 10% da população mundial têm algum tipo de perda auditiva e que 30% a 35% dessas perdas são consequências da exposição a ruídos. A exposição intensa e contínua a sons com alta intensidade pode colaborar com a perda precoce da qualidade auditiva. Além disso, a poluição sonora pode causar problemas à saúde como dor de cabeça, insônia, agitação, dificuldade de concentração, estresse, depressão, perda de memória, cansaço, zumbido, entre outros.