Mauro Picini
Mauro Picini Turismo 29/08/19

Marco das 3 Fronteiras chega a 1 milhão de visitantes com família carioca

Renan Ribeiro, de Niterói (RJ), foi o visitante de número 1 milhão do Marco das 3 Fronteiras. O passeio pelo atrativo faz parte do roteiro que ele está vivendo em Foz do Iguaçu com a esposa, Larissa Koppe, e o filho, Benjamin, de 5 anos.

“Essa cidade é demais. Tínhamos o sonho de visitar o Marco das 3 Fronteiras. Este lugar se tornou um marco para nossas vidas”, disse Renan, nesta terça-feira, 20 de agosto, às 16h49.

Relação de amor com a cidade – Os visitantes contaram que a descoberta sobre a gravidez, do filho Benjamin, hoje nos braços, ocorreu num hotel em Foz do Iguaçu, no ano de 2014. “Planejamos a viagem a Foz para mostrar este lindo lugar a ele”, completou Renan.

O monumento histórico, que completou 116 anos em 2019, passou por uma grande revitalização, com investimentos de aproximadamente R$ 30 milhões do Grupo Cataratas. Desde sua reinauguração, em 20 de dezembro de 2016, visitantes de 154 países passaram pelo local turístico.

O Marco é um daqueles lugares singulares do mundo. O atrativo está localizado no encontro dos rios Paraná e Iguaçu, este que dá o nome à cidade de Foz. O monumento demarca a fronteira entre Brasil, Argentina e Paraguai, sendo reconhecido como um patrimônio histórico e cultural da região.

Dos visitantes brasileiros, os paranaenses lideram o ranking, seguidos pelos paulistas, fluminenses, catarinenses, gaúchos, mineiros, pernambucanos, cearenses e baianos. A cada ano que passa, o Marco contagia visitantes de cada canto do Brasil, mostrando todo o potencial deste lugar, que representa tão bem toda a história e diversidade de Foz.

A satisfação dos visitantes pode ser vista em cada relato de amor pelo local, como conta Solange Kirtz, após desfrutar todas as emoções que o ambiente proporciona. “Fiquei encantada com a arquitetura, a apresentação cultural dos três países, a organização e a limpeza. Um cenário belíssimo de se ver.”

Potencial para continuar crescendo – Com opções de lazer para toda a família, o Marco é um atrativo imperdível de se visitar em Foz do Iguaçu. Se durante o dia o visitante tem a magia do encontro dos rios e a tranquilidade da natureza, no fim da tarde há o pôr do sol; e à noite, a vivência das atrações culturais, a iluminação e todo o encanto da fronteira.

Reconhecido como uma das melhores opções para moradores e para quem visita a cidade, o Marco tem ainda muita capacidade de crescimento, o que ajudará no desenvolvimento do turismo de Foz do Iguaçu, como destaca Adélio Demeterko, diretor da Cataratas do Iguaçu S.A. “O Marco contribui para a nossa oferta turística com bons serviços, eventos, entretenimento, cultura e lazer, integrando os turistas e moradores de Foz. Estamos trabalhando para ampliar ainda mais esta oferta para os próximos anos.”

 

Parceria público-privada – O sucesso do Marco das 3 Fronteiras é resultado da concessão da Prefeitura de Foz do Iguaçu ao Grupo Cataratas, empresa fundada na cidade, no ano de 1999, e que desde 2016 é responsável pela revitalização e gestão do atrativo, colaborando para o desenvolvimento do turismo em Foz do Iguaçu.

Com quase quatro anos de concessão, o grupo já realizou cerca de R$ 30 milhões em investimentos, transformando todo o ambiente em uma referência cultural e turística. A parceria, que tem duração inicial de 15 anos, é um exemplo nacional de como o turismo pode ser valorizado, respeitando a natureza e gerando empregos à comunidade local.

Uma história marcante – Um dos principais símbolos da região de Foz do Iguaçu, o obelisco do Marco das 3 Fronteiras foi erguido para celebrar a paz entre os povos. Foi inaugurado em 20 de julho de 1903 – cerca de 11 anos antes da emancipação política da cidade, em 1914, e estabelece a soberania e o limite territorial do Brasil com a Argentina e o Paraguai.

Vale destacar também que Foz do Iguaçu está no centro das 30 reduções jesuíticas identificadas no Cone Sul, sendo sete no Leste do Paraguai e 14 no Norte da Argentina. Os jesuítas e os índios guaranis habitavam esta região, que hoje integra parte do Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai. Neste território, eles construíram um bem-sucedido sistema social que integrou mais de cem mil pessoas.

Essa história está representada na arquitetura do Marco com a Vila Cenográfica, uma homenagem às missões jesuíticas. Logo na entrada do atrativo, o visitante se depara com a fachada da vila. Ao caminhar pelas praças e ambientes do complexo turístico, o público “viaja no tempo” com a ambientação histórica do local em que viviam esses índios e padres nos séculos 16 e 17.

Fotografia: Marcos Labanca

 

Serviço:

Marco das 3 Fronteiras

Funcionamento: aberto todos os dias das 14h às 22h

www.marcodastresfronteiras.com.br

[email protected]

Telefone: +55 (45) 3132-4108

 

Canais nas redes sociais

WhatsApp: +55 (45) 99137-3444

Facebook: @Marco3Fronteiras.Brasil

Instagram: @Marco3Fronteiras

Twitter: @Marco3Fronteira

 

Pista do Aeroporto de Foz do Iguaçu será ampliada

Obra, que vai ampliar pista em mais 600 metros, com investimento de R$ 70 milhões, permitirá voos sem escalas para Estados Unidos e países europeus

O governador Carlos Massa Ratinho Junior e o secretário nacional de Aviação Civil, Ronei Glanzmann, anunciaram ontem (6), em Brasília, que a ampliação da pista do Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu (Cataratas) será feita antes da concessão para a iniciativa privada. A notícia foi comemorada pelo prefeito Chico Brasileiro.

“Hoje o turismo é o grande carro chefe da nossa economia, e a conectividade aérea permite uma expansão extraordinária no número de visitantes. A ampliação da pista do aeroporto é imprescindível para o sucesso desse projeto. Foz quer dobrar a capacidade de embarques e desembarques nos próximos três anos. Com os novos investimentos, o aeroporto pode se tornar um grande hub da América do Sul”, avaliou Chico Brasileiro.

A obra de ampliação da pista de pouso e decolagem, dos atuais 2.195 metros para 2.795 metros de extensão, permitirá voos sem escala para Estados Unidos e países europeus a partir de 2021. A pista deverá receber uma camada de revestimento especial chamado SMA (Stone Matrix Asphalt), possibilitando um ganho de performance de aproximadamente 20%, o que garantirá um desempenho igual ou superior do terminal argentino, que tem uma pista com 3.300 metros de extensão. 

O investimento será de R$ 70 milhões com recursos disponibilizados pela Infraero. A expectativa é que a nova pista aumente em até cinco vezes a movimentação de visitantes na cidade. “Não é aceitável que o nosso cartão-postal não tenha um aeroporto com voos internacionais. Desde janeiro, estamos batendo nessa tecla da ampliação da pista antes mesmo da concessão, que vai acontecer no final de 2020”, explicou o governador Ratinho Junior. “Dessa maneira, conseguimos convencer a Infraero e a Secretaria de Aviação Civil da necessidade de antecipar a construção da nova pista”.

A Infraero vai se debruçar sobre as licenças e readequações nos próximos seis meses para acelerar a licitação e até dezembro de 2020 ou no primeiro trimestre de 2021 a nova pista poderá ser inaugurada. O aeroporto também subirá de categoria para a concessão e valerá mais de R$ 1 bilhão, além de receber novos equipamentos.

“Conectividade aérea é a palavra-chave para conquistarmos novos mercados e para garantirmos sustentabilidade aos atrativos, rede hoteleira, restaurantes e toda a nossa indústria do turismo”, destacou o secretário de Turismo, Indústria, Comércio e Projetos Estratégicos, Gilmar Piolla.

 “Já temos voo direto pra Lima. E até o final do ano teremos voo direto para Santa Cruz de la Sierra. Agora estamos negociando voos diretos para Santiago do Chile e outros destinos da América do Sul. Com ampliação da pista, podemos sonhar mais alto e formar aqui em Foz do Iguaçu um hub do cone sul e países andinos”, afirma Piolla.

 

Fundo Iguaçu - O projeto de ampliação da pista foi elaborado pelo Fundo de Desenvolvimento e Promoção Turística do Iguaçu (Fundo Iguaçu) em parceria com a Infraero. O Fundo Iguaçu também está responsável pelo licenciamento ambiental e estudos arqueológicos exigidos pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artistico (Iphan).

“Esta conquista deve-se a visão do Conselho do Fundo Iguaçu, que aprovou os recursos para que, desde 2013,  fossem investidos na mudança do Plano Diretor do Aeroporto, novo sistema de pistas, recape da pista atual, duplicação do acesso,  depois trabalhando nos projetos de ampliação do terminal, implantação de fingers e autorizações ambientais para  ampliação da pista. A conquista é de todos!”, afirmou o presidente do Fundo Iguaçu, Enio Eidt.

 

Presenças - Participaram da reunião em Brasília, onde foi tomada a decisão: o ministro da Secretaria de Aviação Civil, Ronei Glanzmann; o governador do Paraná, Ratinho Júnior; o diretor de Operações e Serviços Técnicos da Infraero, brigadeiro André Luíz Fonseca e Silva; o diretor de Coordenação da Itaipu Binacional, Luiz Felipe Carbonell; o secretário de Infraestrutura e Logística do Paraná, Sandro Alex; e os deputados federais Fernando Giacobo (PR) e Vermelho (PSD),  dentre outras autoridades. Foto: Agência Estadual de Notícias

 

Marco das 3 Fronteiras chega a 1 milhão de visitantes

O Marco das 3 Fronteiras deve bater a marca de um milhão de visitantes até a próxima terça-feira, 20 de agosto. O monumento histórico, que completou 116 anos em 2019, passou por uma grande revitalização, com investimentos de aproximadamente R$ 30 milhões do Grupo Cataratas.

O atrativo caiu no gosto de turistas e moradores. Desde sua reinauguração, em 20 de dezembro de 2017, brasileiros e povos de mais 153 países passaram a visitar o local turístico. Brasileiros, argentinos, paraguaios, chilenos, peruanos, chineses, colombianos, estadunidenses, franceses e uruguaios lideram o ranking de nacionalidades que mais visitaram a atração turística.  

O Marco é um daqueles lugares singulares do mundo. O atrativo está localizado no encontro dos rios Paraná e Iguaçu, este que dá o nome à cidade de Foz. O monumento demarca a fronteira entre Brasil, Argentina e Paraguai, sendo reconhecido como um patrimônio histórico e cultural da região. 

Dos visitantes brasileiros, os paranaenses lideram o ranking, seguidos pelos paulistas, fluminenses, catarinenses, gaúchos, mineiros, pernambucanos, cearenses e baianos. A cada ano que passa, o Marco contagia visitantes de cada canto do Brasil, mostrando todo o potencial deste lugar, que representa tão bem toda a história e diversidade de Foz. 

A satisfação dos visitantes pode ser vista em cada relato de amor pelo local, como conta Solange Kirtz, após desfrutar todas as emoções que o ambiente proporciona. “Fiquei encantada com a arquitetura, a apresentação cultural dos três países, a organização e a limpeza. Um cenário belíssimo de se ver.”

Potencial para continuar crescendo – Com opções de lazer para toda a família, o Marco é um atrativo imperdível de se visitar em Foz do Iguaçu. Se durante o dia o visitante tem a magia do encontro dos rios e a tranquilidade da natureza, no fim da tarde há o pôr do sol; e à noite, a vivência das atrações culturais, a iluminação e todo o encanto da fronteira.

Reconhecido como uma das melhores opções para moradores e para quem visita a cidade, o Marco tem ainda muita capacidade de crescimento, o que ajudará no desenvolvimento do turismo de Foz do Iguaçu, como destaca Adélio Demeterko, diretor da Cataratas do Iguaçu S.A. “O Marco contribui para a nossa oferta turística com bons serviços, eventos, entretenimento, cultura e lazer, integrando os turistas e moradores de Foz. Estamos trabalhando para ampliar ainda mais esta oferta para os próximos anos.”

Parceria público-privada – O sucesso do Marco das 3 Fronteiras é resultado da concessão da Prefeitura de Foz do Iguaçu ao Grupo Cataratas, empresa fundada na cidade, no ano de 1999, e que desde 2016 é responsável pela revitalização e gestão do atrativo, colaborando para o desenvolvimento do turismo em Foz do Iguaçu.

Com quase quatro anos de concessão, o grupo já realizou cerca de R$ 30 milhões em investimentos, transformando todo o ambiente em uma referência cultural e turística. A parceria, que tem duração inicial de 15 anos, é um exemplo nacional de como o turismo pode ser valorizado, respeitando a natureza e gerando empregos à comunidade local.

Uma história marcante – Um dos principais símbolos da região de Foz do Iguaçu, o obelisco do Marco das 3 Fronteiras foi erguido para celebrar a paz entre os povos. Foi inaugurado em 20 de julho de 1903 – cerca de 11 anos antes da emancipação política da cidade, em 1914, e estabelece a soberania e o limite territorial do Brasil com a Argentina e o Paraguai.

Vale destacar também que Foz do Iguaçu está no centro das 30 reduções jesuíticas identificadas no Cone Sul, sendo sete no Leste do Paraguai e 14 no Norte da Argentina. Os jesuítas e os índios guaranis habitavam esta região, que hoje integra parte do Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai. Neste território, eles construíram um bem-sucedido sistema social que integrou mais de cem mil pessoas.

Essa história está representada na arquitetura do Marco com a Vila Cenográfica, uma homenagem às missões jesuíticas. Logo na entrada do atrativo, o visitante se depara com a fachada da vila. Ao caminhar pelas praças e ambientes do complexo turístico, o público “viaja no tempo” com a ambientação histórica do local em que viviam esses índios e padres nos séculos 16 e 17.

Créditos de fotografias: Kiko Sierich

 

Serviço:

Marco das 3 Fronteiras

Funcionamento: aberto todos os dias das 14h às 22h

www.marcodastresfronteiras.com.br

[email protected]

Telefone: +55 (45) 3132-4108

 

Canais nas redes sociais

WhatsApp: +55 (45) 99137-3444

Facebook: @Marco3Fronteiras.Brasil

Instagram: @Marco3Fronteiras

Twitter: @Marco3Fronteira

 

Imprensa contato

[email protected]

[email protected]