Editorial
O destaque de Toledo

Conforme mostrou reportagem do JORNAL DO OESTE, Toledo apareceu com destaque no Ranking das Melhores Cidades para Fazer Negócios promovido pela Revista Exame. Na edição 2018 foram destacados os 310 municípios analisados no Ranking das Melhores Cidades para Fazer Negócios. Foram municípios com mais de 100 mil habitantes que representam 70,4% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, 62,1% das empresas, 72,6% dos empregos formais e 56,5% da população brasileira.

Toledo saltou para o 43º lugar no ano passado, sendo que no estudo divulgado em 2017, a classificação da cidade era 58º lugar. Em relação ao desenvolvimento econômico, o município de Toledo está entre os 20 melhores do país, um salto de 24º lugar na classificação de 2017 para 15º lugar na classificação de 2018.

Uma melhora significativa, sem dúvida, mas que poderá ser ainda melhor no próximo levantamento pelas ações feitas e que colocam a cidade num patamar acima. A retomada dos voos comerciais diários é, por exemplo, um quesito que contribuirá para uma melhor avaliação da cidade, haja vista que no estudo do ano passado ainda não tinha sido levado em consideração. Além disso, a perspectiva da entrega de pelo menos um novo parque industrial este ano e a consolidação da rede coletora de esgoto são outros dois pontos que certamente representarão pontos importantes numa eventual subida da cidade neste ranking.

Mas há, por outro lado, aspectos negativos que precisam ser analisados com cautela pela administração pública a fim de serem enfrentados daqui por diante, até porque alguns deles são muito sérios na hora de uma determinada organização decidir onde investir.

Um dos mais crônicos – e não é de hoje – diz respeito à formação dos empregados formalizados. A maioria da mão-de-obra não tem curso superior ou qualificação. Essa é uma bandeira que precisa ser encampada com urgência pelo poder público, mas também por outras entidades, especialmente pela Associação Comercial e Empresarial de Toledo (Acit) e pelo Conselho de Desenvolvimento Econômico (Comdet). Essas três forças precisam trabalhar de maneira mais coordenada a fim de mudar este cenário que há tempos perdura e que também influencia na média da renda per capta da população.