Editorial
O exemplo que vem do lado

Há anos a rivalidade entre Cascavel e Toledo vem arrefecendo à medida que ambas as cidades se desenvolveram de maneira independente. Cada uma apostando em características muito próprias. Mas há um aspecto onde os cascavelenses parecem, enfim, ter despertado: a necessidade de realizar grandes eventos, capazes de atrair novos investidores e fomentar a economia em vários setores e não apenas aquele específico em torno do evento. Se antes o Show Rural eram quase uma exclusividade, hoje vários outros ventos começam a ganhar corpo a ponto de atrair olhares de todo o país para o oeste do Paraná, mais ou menos nos mesmos moldes que a proposta do Biopark pretende realizar em Toledo.

O mais recente exemplo atende pelo nome de Transpoeste, ou a Feira de Transportes e Negócios do Oeste Paranaense marcada para acontecer entre 20 e 22 de maio de 2020, no Centro de Convenções de Cascavel. A organização é do Sintropar, o Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas e Logística do Oeste do Paraná, que foi buscar uma empresa em São Paulo para organizar a primeira experiência deste ano. Devido ao sucesso a parceria está mantida e demonstra a visão de longo alcance que a diretoria do Sintropar demonstrar ter, afinal, grandes negócios exigem grandes sacrifícios e investimentos.

Se a edição deste ano demonstrou robustez, a de 2020 quer crescer em torno de 40%. A edição de 2019 da Transpoeste gerou algo em torno de R$ 150 milhões em negócios, com média de 1.800 pessoas visitando os estandes. Para o próximo ano serão 58 estandes e uma previsão de 20 mil visitantes. A feira não apenas terá uma nova edição. Ela promete ser maior, mais robusta e mais forte a fim de tornar Cascavel uma referência quando o assunto é evento em transporte no Paraná. E isso ficou muito claro nas declarações do presidente do sindicato, Wagner Adriani de Souza Pinto, durante o evento de lançamento nesta terça-feira (5).

O exemplo que vem do lado é bom e pode servir para a mudança de cultura também nos eventos pensados e realizados em Toledo, afinal, como demonstra a entidade cascavelense, às vezes é preciso ousar para ter o devido reconhecimento. E ousadia parece não estar faltando aos organizadores da feira de transporte.