Editorial
Pequenas iniciativas...

Nesta segunda-feira (5) houve o lançamento oficial do programa Pequenas Conversas, Grandes Transformações, uma iniciativa da Secretaria Municipal de Políticas para Mulheres da Prefeitura de Toledo que busca conscientizar as crianças dos sextos anos sobre a necessidade de valorização da própria dignidade. Em tempos onde a exposição precoce tem sido uma tônica e onde cada vez menos se valoriza o próprio corpo, em especial as mulheres, este programa busca realmente não apenas conscientizar as futuras gerações, mas tentar implantar uma nova cultura de valorização não necessariamente atrelada aos discursos prontos e carregados de ideologias comumente vistos no Brasil de uns tempos para cá. A valorização da mulher não precisa vir acompanhada de empoderamento, de feminismo, de política! Valorizar a mulher é defender direitos iguais, não necessariamente uma igualdade de gêneros, até porque homens e mulheres são diferentes!

A ideia de trabalhar com crianças merece elogios porque é somente dessa forma que será possível transformar o futuro, não o presente, até porque este está recheado de ideias distorcidas e que ao invés de contribuir para a formação de uma sociedade melhor, parece apenas desagregar e valorizar aquilo que socialmente soa tão esquisito. Não se trata de se pensar numa volta ao passado, até porque seguir em frente é preciso. Trata-se de repensar valores deixados de lado de uns tempos para cá e que, de certa forma, este programa tenta restabelecer de uma maneira tranquila e sem a necessidade de debates acalorados ou o enfrentamento pelo enfrentamento por si só.

Ainda é preciso ressaltar que aos poucos a Secretaria de Políticas para Mulheres vai mostrando que seu não fechamento e a mudança de pensamento sobre seu papel dentro da sociedade parecem ter sido bastante assertivas, afinal, somente este ano muitas ações já foram executadas, sempre pensando em atingir um maior número de pessoas e não apenas servir aos interesses de uma minoria. É assim que devem ser as políticas públicas. E políticas públicas podem ser feitas de pequenas iniciativas, mas que, levadas adiante de maneira séria, podem sim representar grandes transformações.