Editorial
Sem ouvir nada ainda...

Nesta quinta-feira (27) se comemora o Dia do Surdo, embora em Toledo não haja lá tantos motivos assim para comemorar diante da crise sem fim pela qual passa a Apada, punida com a perda de recursos estatais após denúncia de irregularidades na prestação de contas da entidade junto aos órgãos competentes. O vereador Genivaldo Paes (PDT) comentou, durante a sessão ordinária de segunda-feira na Câmara Municipal, que hoje a dívida da entidade era de aproximadamente R$ 800 mil.

Há praticamente um ano fechada, hoje a Apada vem se mantendo com doações da comunidade. Uma espécie de recomeço para uma entidade cuja importância é indiscutível, mas que precisou aprender uma dura lição, assim como também aconteceu com a Dorcas: ninguém pode estar acima da lei e a data de hoje também serve como momento de reflexão sobre a prestação de serviço assistencial em qualquer município.

Sem ainda poder receber verba estatal, aos poucos a Apada vai reaprendendo a ouvir. Embora ainda não ofereça o ensino para as crianças especiais, que seguem sendo encaminhadas para Assis Chateaubriand, ao menos a entidade não está completamente letárgica.

Tem ofertado curso de Libras num valor mais acessível, realizado exames de audiometria – o que é imprescindível para o público surdo -, promovido o encaminhamento das pessoas para o mercado de trabalho e agido em relação ao passe livre, entre outras pequenas atividades que despertaram o interesse da comunidade, como aconteceu no último fim de semana quando houve um almoço beneficente promovido pela família rotária a fim de arrecadar recursos para a manutenção da Apada.

Mesmo com um atendimento longe do ideal, é preciso destacar o esforço que vem sendo feito desde que os problemas em relação à prestação de contas ocorreu e seus desdobramentos catastróficos, porém, necessário importante frisar. E é este esforço que oferece a esperança de, dentro de mais algum tempo, a Apada possa voltar a figurar entre as entidades beneficiadas, por exemplo, pela Campanha Legal – Pacto pela Criança, hoje uma ferramenta de extrema importância para a manutenção do bom serviço prestado por muitas entidades assistenciais em Toledo.