Editorial
Tempos de crise

Ao longo de sua história, a Associação Comercial e Empresarial de Toledo (Acit) demonstrou seu valor em diversas oportunidades. Foi graças ao seu dinamismo que ocorreram transformações importantes que ajudaram a consolidar a cidade como uma referência dentro do Estado do Paraná. No âmbito empresarial a Acit também é hoje um exemplo em vários aspectos, tendo um número associados muito acima de cidades maiores, o que demonstra sua vocação em crescer de forma consolidada. Neste sentido os eventos promovidos neste período foram fundamentais neste processo. Feira Ponta de Estoque, Feira Shopping, Prêmio Destaque Empresarial, Feira de Máquinas (Femais) e o Conexão Empresarial fomentaram os setores da indústria e comércio e demonstraram a vocação da entidade em promover o desenvolvimento pleno.

Porém, de uns tempos para cá a fórmula de sucesso parece ter se esgotado, tanto assim que a Feira Shopping no passado e esta semana a Femai foram adiadas. No caso da feira das máquinas é mais grave porque a venda dos estandes estava muito aquém da esperada para esta época. Os tempos de crise atingiram em cheio a maior entidade representativa de Toledo o que deveria servir para ampla reflexão de alguns setores dentro de sua diretoria que passaram a acreditar em verdades absolutas sem questionar alternativas, em especial no campo da comunicação.

Neste momento ruim não seria o caso da Acit flexibilizar ou até mesmo subsidiar uma parte da feira para sua realização? Haja vista uma época onde não apenas a indústria, mas o próprio comércio sofre com a retração econômica, deveria haver uma preocupação maior em retribuir de alguma forma a dedicação de seus associados ao longo dos anos. Usar uma parte do fundo de reserva e reinvestir na realização da Femai poderia, quem sabe, auxiliar na divulgação das empresas. Evidente que os expositores não arcam apenas com os custos do estande, pois existem muitos outros fatores envolvidos, todavia, uma contrapartida da Acit – se é que não existiu essa opção antes – seria uma forma de demonstração da grandeza da entidade que poderia recuperar o dinheiro investido hoje com ações futuras. Uma via de mão dupla.

Além disso, há que se ressaltar a comodidade desta mesma parcela diretoria ao não realizar o evento. Não é necessário se incomodar e ainda se economiza por não precisar fazer os colaboradores da associação trabalharem durante a Femai. Mas qual a razão de existir da Acit se não a de fomentar o desenvolvimento da cidade como um todo e não apenas no conforto de salas refrigeradas e modernas, como se o mundo todo fosse digital e não mais forjado a ferro e fogo.

Infelizmente, como exposto acima, há uma parcela da diretoria disposta apenas a ouvir suas próprias ideias sem ouvir, sem dialogar. Uma parcela que acredita ser melhor investir apenas em redes sociais como se isso por si só fosse a saída de todos os problemas. Basta observar os resultados atingidos nas campanhas promovidas pela Acit e onde a divulgação é mais ampla. Sim, existe o apelo próprio dos prêmios, entretanto, não houvesse uma comunicação maciça – e de massa, não apenas virtual – certamente não seriam centenas de milhares de cupons depositados. As redes sociais também são importantes, mas representam apenas uma margem do rio chamado sociedade à qual a Acit representa.