Editorial
Um aeroporto viável

Embora alguns céticos ainda defendam a tese de que o Aeroporto Municipal Luiz Dalcanale Filho não seja viável, ainda assim a retomada nas operações diárias com voos comerciais se mostraram, ao menos até agora, um negócio extremamente viável. Em seis meses foram mais de 9 mil passageiros passando pelo local, com média de 60 pessoas no embarque e de 58 no desembarque. Números bastante sólidos e que precisam ser mantidos nos próximos decisivos meses, ainda mais após a entrada em operação de aviões com maior porte no Aeroporto de Cascavel, inclusive com a chegada de uma segunda companhia.

Evidente que a economia não será alavancada baseada apenas neste voo, até porque, embora atende hoje aos interesses, ainda assim seu horário não é dos melhores, daí a necessidade de manter o trabalho contínuo pela busca de outros voos e até mesmo de outros companhias, o que levaria a novos investimentos na atual estrutura do Luiz Dalcanale Filho, pois a atual se mostrou um tanto quanto limitada para atender à demanda atual. Mas é um espaço adequado e de qualidade, muito melhor que outros aeroportos do mesmo porte.

O grande objetivo ao menos já foi atingido, que era facilitar o acesso ao mundo inteiro, um mundo cada vez mais globalizado e onde é preciso andar numa velocidade cada vez maior para não se ficar para trás. Este voo tem ajudado a trazer o desenvolvimento, gerando emprego e renda ao município pela rapidez pelo deslocamento que faz uma enorme diferença nos negócios.

Consolidada esta etapa é hora de pensar em voo mais altos e maiores, daí a necessidade de não se abandonar a ideia do Aeroporto Regional, um projeto que não fosse o egoísmo político e as vaidades ideológicas, certamente estaria quase completo, senão já tendo ampliado e muito a estrutura logística do Oeste que agora precisa ainda mais se preparar para enfrentar uma concorrência cada dia maios eficaz e com poder de investimento muito acima dos padrões nacionais.

Sim, é preciso comemorar esta marca de seis meses com números positivos de um aeroporto, sim, viável. Passada a festa é preciso manter o foco e trabalhar ainda mais para evitar que Toledo fique refém de forças nem sempre preocupadas com o desenvolvimento pleno, mas sim com os holofotes eleitoreiros.