Cafelândia confirma 402 casos positivos de Dengue

O município de Cafelândia, através do setor de Endemias, confirmou na quinta-feira (12) 1180 notificações de dengue. Ao todo, 402 casos já foram confirmados, 468 aguardando resultados de exames e mais 310 deram negativos.

“Infelizmente mais um ano com centenas de casos de dengue. A cada ano que passa temos percebido que os números estão aumentando e a secretaria tem feito a sua parte. Pedimos mais uma vez à comunidade que elimine todos os criadores do Aedes, essa é a única forma de evitarmos a dengue”, destaca o coordenador de Endemias, Anderson Luiz Alves Almeida.

Ainda de acordo com o coordenador, todo o trabalho de visita às residências por parte do setor de Endemias, tem sido realizado. “Durante as visitas – que são realizadas em média a cada 60 dias nas casas dos moradores – além das vistorias e orientações, se necessário é realizado ainda as notificações e também aplicação de multa. Não chegamos multando, porém, é necessário a conscientização da comunidade que a dengue mata. Primeiro orientamos, passamos as informações corretas sobre o que é necessário fazer e estabelecemos prazos”.

Se os prazos não forem cumpridos (podem variar de três a 15 dias) Almeida explica que é aplicada multa. “O município não tem o intuito de multar e sim conscientizar a comunidade sobre os riscos da dengue bem como toda a problemática que a mesma proporciona. Além disso, uma contratação emergencial está sendo feita por parte da secretaria de Saúde para aumentarmos o número de agentes de endemias, mas reforço novamente, que os agentes fazem a orientação, o trabalho de virar as garrafas e objetos de ‘boca para baixo’ quem deve fazer é o cidadão”, afirma o coordenador de Endemias, Anderson Alves.

FUMACÊ – De acordo com o coordenador, o fumacê já foi solicitado ao estado ainda no mês de abril, mas ele lembra que essa é a última alternativa que o município tem. “Quem determina a escala do fumacê não somos nós enquanto município e sim o estado. Por isso reforço que o fumacê é a última alternativa que os municípios tem, o que precisamos e reforçar a eliminação do Aedes em seus criadores, por isso, pedimos que a comunidade faça corretamente a sua parte, eliminando a água acumulada em recipientes, caixas d’água, plásticos e pneus”, destaca Anderson.

ESPERA NAS CONSULTAS – Ainda de acordo com o coordenador, com um número elevado de notificações, o aumento no número de consultas do Pronto Atendimento Municipal – PAM – subiu consideravelmente. “Pedimos a colaboração da comunidade, pois a dengue não atinge só Cafelândia e sim todo o estado do Paraná. Muitas pessoas estão procurando nosso Pronto Atendimento com sintomas e isso tem ocasionando uma certa demora no atendimento, devido ao número elevado de pessoas infectadas. Por isso, reforçamos os pedidos em relação à conscientização e aos cuidados que a população precisa ter”, destaca Anderson.

CAFELÂNDIA