Como o acaso levou à busca por soluções de gestão e melhores resultados em empresa de Santa Helena

As dificuldades de assumir uma empresa em funcionamento podem ser imensas. Principalmente quando o gestor não faz parte do quadro funcional do empreendimento. Foi isso que aconteceu com as irmãs Sandra Galafaci Conte e Adriana Galafaci Sanchez.

Após o falecimento da mãe, Ana Lúcia Galafaci, as duas se viram diante de uma situação totalmente nova. A empresa de confecções, até então gerida pela mãe, precisava de uma gerência, no entanto, Sandra lembra que, não fazia parte do empreendimento, pois, seu ramo de atuação era outro, uma empresa voltada a materiais educativos.

Sem muitas alternativas viáveis, diante da responsabilidade de gerir a empresa Ana Confecções, passos importantes precisavam ser dados, porém, que necessitavam de muito mais que vontade. Era necessário conhecer o mercado, os procedimentos internos, gerir a equipe de colaboradores e, é claro, ter rendimentos compatíveis para arcar com salários e demais despesas.

Sem saber muito bem como dar conta de tudo, as irmãs tomaram a atitude de buscar conhecimento teórico, técnico e prático. Uma primeira ação foi a contratação de uma consultora, Leani Nehring, a qual, após diversos processos de melhorias, também apontou consultorias pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), via Ponto de Atendimento ao Empreendedor, que funciona junto à Associação Comercial e Empresarial de Santa Helena (Acisa).

DEMANDAS E SOLUÇÕES – A responsável pelo Ponto de Atendimento ao Empreendedor, Ivete Buche, ressalta que primeiramente foi identificada a demanda da empresa e, em seguida a melhor solução do Sebrae para atender esta necessidade. “A partir do suporte recebido, os consultores do Sebrae indicaram o atendimento via Sebraetec, e montamos um projeto relatando as dificuldades, o qual foi aprovado com êxito”, lembra Sandra Galafaci Conte.

Novos processos

Organização do Ambiente de Trabalho e melhorias no Layout foi o foco de ação trabalhado pelo Sebraetec, um passo importante na missão gerencial. “Construímos a ficha técnica de produção a qual possibilitou a identificação dos gargalos nas diferentes tarefas e também nos forneceu um índice de produtividade por dia, por mês e por ano”, destaca Sandra. “Com esta ficha técnica no sistema de controle foi possível a emissão de relatórios para análise e gestão”, observa.

Além destes resultados, foram realizadas alterações significativas no layout da indústria, o que possibilitou melhorias internas do trabalho com impacto na qualidade e produtividade, conforme relatos das irmãs.

NÚMEROS E PESSOAS – Mas, uma boa gestão não se resume a trabalhar com números, mudar máquinas de lugar, melhorar o layout, é necessário gerir pessoas. Afinal, uma equipe de colaboradores precisa produzir, ter comprometimento, manufaturar dentro do que está programado, com qualidade e sem desperdícios. A integração da gerência com os colaboradores foi mais um aprendizado da nova gestão.

Sandra Conte lembra que, durante um ano o consultor Paulo Zatti se deslocava, de uma a duas vezes por mês até a empresa para o suporte à esta nova fase de trabalho, tanto para proprietários, quanto para colaboradores. “Era necessário mudar, alterar o layout e checar os resultados”, segundo relembra uma das irmãs.

QUAL O RESULTADO – No entanto, o esforço valeu a pena e os resultados são positivos. “A qualificação foi de extrema importância, pois com esta pandemia sabemos que o mundo todo está passando por dificuldades. Com esta consultoria diminuímos perdas, melhoramos a produtividade e qualidade”, pontua. “Houve um aumento de 33,5% na produtividade”, enaltece Sandra.

A lição de tudo isso é que, a busca por melhores resultados requer aperfeiçoamento, investir no espaço físico, em equipamentos melhores, em organização, porém, mais ainda, deve-se focar na valorização das pessoas, no comprometimento humano e na capacitação da equipe.

O PONTO DE ATENDIMENTO – Auxiliar os empresários que buscam melhorar os resultados é um dos objetivos do Ponto de Atendimento ao Empreendedor. “Há diversas oportunidades. Alguns serviços, inclusive, são gratuitos”, ressalta Ivete Buche. “O Sebraetec tem subsídio parcial para aplicação, o que melhorou os resultados da Ana Confecções e pode ajudar muitas outras empresas”, destaca.

Quem já tem empresa formalizada pode buscar o Ponto de Atendimento ao Empreendedor com as necessidades e demandas que possui e, a partir disso serão analisadas as soluções que atendam à situação. Outras informações podem ser obtidas diretamente na Acisa, ou pelo telefone (45) 3268 1497.

SANTA HELENA