Entidades rondonenses e poder público se unem novamente no combate à dengue

A exemplo do que aconteceu no ano passado, as entidades organizadas de Marechal Rondon novamente aceitaram o convite e estarão engajadas, juntamente com o poder público e a população, no combate ao mosquito transmissor da dengue. A mobilização aconteceu após a divulgação do Levantamento de Índice Rápido para o Aedes aegypti (LIRAa), por parte do Setor de Endemias, da Secretaria de Saúde, que apontou índice de infestação de 3,9% na sede do município, quando o tolerado, conforme o Ministério da Saúde, é de 1%.

Diante disso, uma das primeiras ações será um arrastão que será neste sábado, dia 16, no Bairro Ana Paula, que está com o maior índice de incidência de focos, cuja taxa naquela região é de 4,9%.

Durante encontro realizado nesta quarta-feira (13), no SESC, a Secretária de Saúde Marciane Specht apresentou os números referente à dengue neste início de 2021. Já entre as definições de ações a serem realizadas, ficou acordado que cada entidade irá disponibilizar dois representantes para colaborar no arrastão. Também estarão participando agentes de endemias, colaboradores das Secretarias de Viação e Serviços Públicos, de Agricultura e Política Ambiental, e demais funcionários públicos.

Entre as entidades que estão mais uma vez apoiando o movimento está o SESC, SENAC, Sindicomar, Acimacar, Conselho da Mulher Empresária, imprensa, clubes de serviços como Rotarys, Lions, JCI, entre outros.

Sobre o arrastão

A partir de hoje, quarta-feira, carro de som estará passando pelas ruas do Bairro Ana Paula para informar a população da necessidade de fazer a limpeza dos quintais. Os moradores são orientados a depositar os materiais inservíveis e reciclados em frente as residências, para que as equipes do arrastão, no sábado, façam a recolha.

Demais bairros

Vale lembrar que em todos os bairros e centro da cidade o índice de infestação está alto. Por isso pede-se atenção especial de toda a comunidade. “Pedimos que os moradores de todo o município façam uma verificação em seus quintais, para que os criadouros sejam eliminados. Precisamos da união de todos. Não podemos chegar a uma nova epidemia”, enfatizou Marciane.

Epidemia

No ano passado, em 20 de fevereiro, o município decretou epidemia pois já registrava mais de 160 casos. No ano epidemiológico 2019/2020 (agosto de 2019 até julho de 2020) foram confirmados 1981 casos de dengue, inclusive, seis óbitos. No ano epidemiológico vigente, que iniciou em agosto de 2020 e segue até julho de 2021, foi registrado um caso de dengue no município, porém, a preocupação para que os casos não aumentem é bastante grande.

Da Assessoria