Foz: Espaço Sandbox é referência nacional em Cidades Inteligentes

Lançado em 2020, o Programa Vila A Inteligente é um espaço de testes e experimentações e inovações tecnológicas (Sandbox). Mas, mesmo em fase de desenvolvimento, o trabalho começa a chamar a atenção de diversas cidades brasileiras.

Foi pensando em ver de perto como funcionam as tecnologias das Cidades Inteligentes que o prefeito de Goiânia (GO), Rogério Oliveira da Cruz, visitou Foz do Iguaçu, na semana passada, para conhecer o Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR) e visitar esse ambiente Sandbox no Bairro Itaipu A. O prefeito de Goiânia contou na visita que ouviu pela primeira vez, a respeito do case de Foz do Iguaçu, após reunião com a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI).

“Aqui é, hoje, um espelho para o País. Eu vim de Goiânia para conhecer in loco esse sistema. Nossa ideia é transformar Goiânia em modelo de Cidade Inteligente. Ver de perto essas tecnologias, em Sandbox, é muito importante, pois me faz ter a certeza de que é exatamente o que precisamos: câmeras inteligentes, semáforos inteligentes, ruas com inclusão para deficientes visuais”, disse o prefeito Rogério Oliveira da Cruz.

REFERÊNCIA NACIONAL – Segundo Tiago Faierstein (ABDI), muitas cidades devem buscar Foz do Iguaçu nos próximos anos, pois o Brasil deseja entrar na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e a recomendação sobre cidades inteligentes é que os municípios tenham áreas de experimentação de tecnologias. Muitos municípios brasileiros não sabem como fazer isso.

“Aqui em Foz, nós criamos com o PTI essa área de experimentação para servir de referência para o Brasil. Outras áreas já surgiram em todas as regiões brasileiras. Mas Foz tem algumas vantagens: primeiro, é o município pioneiro nesse tipo de trabalho no Brasil; segundo, aqui foi feito o primeiro decreto para a instalação de um Sandbox em um bairro e criamos outros decretos a partir do exemplo daqui; e terceiro, é a cultura empreendedora da região, pois diversas entidades estão envolvidas para estimular a vinda de novas empresas para a cidade a partir desse Sandbox. Por essa razão, o Sandbox de Foz é o que tem a maior visibilidade nacional”, explicou Tiago Faierstein.

INTEGRAÇÃO MUNICIPAL – O prefeito de Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro, também esteve na visita ao Centro de Controle de Operações do Vila A Inteligente e reforçou a importância do Programa para a cidade.

“O ganho para a cidade é extraordinário. Foz do Iguaçu se transformou num centro de referência de Cidades Inteligentes, pois toda essa tecnologia vai interferir na qualidade de vida das pessoas, no conceito de uma cidade moderna, que se preocupa com a segurança pública, com a mobilidade e a inclusão”, afirmou o prefeito.

Chico Brasileiro lembrou ainda que uma etapa importante desse trabalho será a integração cada vez maior desse Sandbox com os órgãos municipais.

“A integração é um ponto importantíssimo. O Sandbox permite a integração com a segurança pública, no setor de trânsito e de planejamento urbano. A administração pública deve usufruir dessas tecnologias aqui implantadas. É a integração que vai permitir utilizar esse modelo aqui para replicar em outros bairros e também em outras cidades”, explicou.

ATRAÇÃO DE EMPRESAS PARA FOZ – O diretor superintendente do PTI-BR, general Eduardo Garrido, avaliou de forma positiva as visitas dos dois prefeitos que conheceram as experimentações tecnológicas, que já estão em andamento, no Bairro Itaipu A.

“Hoje, tivemos duas visitas muito importantes. Primeiro, o prefeito de Foz do Iguaçu, que veio conhecer pessoalmente o Programa. E segundo, o prefeito de uma grande capital, como Goiânia. Isso mostra como essa iniciativa está tendo visibilidade nacional. O resultado é fruto de uma parceria que fizemos com a ABDI, na primeira fase do projeto; e estamos agora na segunda fase, com apoio financeiro da Itaipu, começando a implantar mais tecnologias. O Programa também conta com a parceria da COPEL e da Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu. Nosso grande objetivo é melhorar a qualidade de vida da população, por isso contar com o apoio da Prefeitura para dispormos desta área de experimentação voltada para Cidades Inteligentes, onde as empresas virão testar suas tecnologias, é imprescindível e muito importante. As tecnologias validadas serão levadas para outras cidades do Brasil”, explicou general Garrido.

FOZ DO IGUAÇU