Natal seguro: Crea-PR orienta sobre instalação de decorações luminosas

Após o período de fragilidade econômica ocasionada pela crise do coronavírus, os empresários estão apostando no Natal como uma das principais datas para a retomada do movimento e consumo, principalmente no setor varejista. Para atrair a atenção dos consumidores, muitos estão apostando na prorrogação de promoções e, também, nas decorações e instalações natalinas, que ajudam a captar clientes para os pontos comerciais e ganham a atenção do público infantil.

Para que a estratégia funcione com segurança, no entanto, é preciso que os empresários adotem certas medidas de cautela no momento da instalação das decorações, principalmente as luminosas. Segundo a engenheira eletricista e inspetora eleita do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea-PR), Luana Veber, ao manusear e utilizar eletricidade, é preciso levar em consideração alguns pontos básicos.

“Para quem vai fazer instalação provisória de decorações natalinas, a principal recomendação é que a pessoa esteja segura de que os produtos que serão instalados sejam certificados pelo Inmetro o que garante que aquele item foi inspecionado e verificado antes de ser aprovado para o consumidor. Outra questão importante é pensar no local onde as instalações serão feitas, pois a ambientação pode exigir diferentes tipos de equipamentos e componentes”, indica a engenheira.

Em áreas externas, é preciso verificar se as luzes ficarão expostas à umidade e ao vento. No interior das edificações, é recomendado que o usuário evite o uso de extensões para não sobrecarregar a rede, além de organizar as fiações para que fiquem longe de tecidos, ornamentos de papel, plástico, isopor e madeira, por exemplo, para evitar incêndios.

“Antigamente, as luzes pisca-pisca eram fontes de calor e, vez ou outra, recebíamos relato de pequenos focos de incêndio ou curto-circuito. Para evitar essa situação, é possível optar pela iluminação de LED que, além de gerar baixo índice de calor, é mais econômica para o consumidor”, acrescenta Luana.

Ainda segundo a especialista, ao instalar decorações luminosas, sejam elas em fachadas ou vitrines, é preciso redobrar a atenção quanto ao contato com a rede de energia elétrica. De acordo com ela, para não oferecer riscos aos funcionários do estabelecimento comercial e à sociedade em geral, é preciso que haja distanciamento da fiação da rede.

“Por isso reforçamos que é importante que os empresários busquem orientação de assessoria especializada para que este trabalho seja realizado em segurança. Sabemos que o Natal é uma época especial para os lojistas e, com certeza, ninguém gostaria de passar por problemas nesse sentido. Quanto melhor assessorado o empresário estiver, maiores serão as chances de a decoração ser segura e sem riscos para a sociedade”, ressalta o gerente do Crea-PR Regional Cascavel, Engenheiro Civil Geraldo Canci.

NORMAS TÉCNICAS – No Brasil, na seara da Engenharia Elétrica, existem normas técnicas que orientam a instalação elétrica de baixa tensão como as que são feitas usualmente no período natalino, por exemplo. Normas como a ABNT-NBR 5410 e a NR-10 orientam sobre como as instalações podem ser feitas de forma segura e, em alguns casos, podem demandar projeto elétrico que prevê carga elétrica em Watts, tensão de funcionamento, melhor tecnologia para ser utilizada e carga proteção contra sobrecargas e contra choques elétricos com o emprego de dispositivos de proteção contra correntes de fuga (IDR e DDR), por exemplo.

Nesse sentido, a recomendação do Crea-PR é que todos os equipamentos decorativos devem ter certificação de qualidade e, nos casos de fiações ressecadas e emendadas, é fundamental a participação de um profissional habilitado da modalidade eletricista, que se responsabilizará pelo projeto e execução emitindo a respectiva ART dos serviços, oferecendo mais segurança às instalações.

Da Assessoria