Papel da Itaipu na integração regional é tema de palestra magna na CIER

0 68

O diretor técnico executivo da Itaipu, Renato Sacramento, apresentou Itaipu como um caso de sucesso em integração energética, na abertura da 58ª Reunião de Altos Executivos (RAE) da Comissão de Integração Energética Regional (CIER), nesta semana. O encontro é organizado pela CIER em parceria com a Itaipu Binacional e acontece no Bourbon Cataratas Resort, em Foz do Iguaçu seguiu com programação até quarta-feira (6).

O evento reúne especialistas e profissionais das mais variadas empresas e instituições para compartilhar experiências e discutir temas cruciais para o futuro da energia na América do Sul e Central, influenciando o avanço e a harmonização do cenário energético regional e, com isso, fortalecendo a integração e o desenvolvimento sustentável. Desde 1965, a RAE acontece anualmente em um dos 16 países que formam a CIER. Em 2024, o encontro será no Uruguai.

Além de Sacramento, participaram da cerimônia de abertura o presidente da CIER, Carlos Mario Caro, e o diretor técnico de Itaipu, Hugo Osvaldo Zárate Chávez. Ambos representaram os diretores-gerais brasileiro e paraguaio, respectivamente.

“Celebramos, em 2023, os 50 anos da assinatura do Tratado de Itaipu, um símbolo da vontade de duas nações soberanas promoverem a integração regional”, afirmou Sacramento. “Somos um exemplo de êxito de integração e da produção constante de energia, graças ao trabalho em harmonia de paraguaios e brasileiros”, complementou Zárate.

INTEGRAÇÃO – Segundo Mario Caro, há 50 anos Itaipu tem sido um norte para a CIER de como a integração regional funciona na prática. “Itaipu é o nosso foco de como as interconexões podem acontecer entre os países. É uma negociação que favoreceu o Brasil e o Paraguai e, agora, se destaca nos cuidados com a comunidade e na responsabilidade social”, disse.

Sobre a reunião, Mario Caro comentou sobre temas importantes tratados nos dois dias de evento, como a questão da regulamentação do setor, como as interconexões elétricas influenciam no planejamento elétrico dos países e até um painel sobre equidade e diversidade de gênero.

EXEMPLO – Renato Sacramento ministrou a palestra magna “Itaipu, um caso de sucesso em integração energética, produção de energia sustentável e responsabilidade socioambiental”, dando um panorama geral sobre a empresa e discorrendo sobre a natureza jurídica da Itaipu, o Tratado e seus Anexos, a governança da Itaipu, sua história e seu atual papel no cenário nacional e regional. Ele também apresentou diversos dados técnicos sobre a usina hidrelétrica.

O diretor destacou as ações de responsabilidade socioambiental da Itaipu, como os cuidados com a água e a proteção da fauna e da flora na área do reservatório do Lago de Itaipu, o que inclui a manutenção de dez refúgios e reservas no Brasil e no Paraguai.

Sacramento falou sobre o Programa Itaipu Mais que Energia, que expandiu as ações de responsabilidade socioambiental da Itaipu abrangendo 399 municípios do Paraná e 35 do Mato Grosso do Sul na área de contribuição hídrica do reservatório, uma região onde vivem mais de 11 milhões de pessoas.

“O Programa tem quatro eixos de atuação, como saneamento ambiental e energias renováveis, e traz uma série de benefícios para a população, desde a geração de emprego e renda, aumento da qualidade de vida, até aspectos ambientais como o combate às mudanças climáticas e a preservação da biodiversidade”, afirmou o diretor.

Sacramento ressaltou os benefícios da integração regional, citando as complexidades de se criar uma entidade binacional, o que resulta em uma interdependência dos países envolvidos. Ele finalizou a palestra magna defendendo os benefícios que as hidroelétricas proporcionam à integração, viabilizando a inserção das fontes renováveis intermitentes.

FOZ DO IGUAÇU

Deixe um comentário