Projeto Ecoponto é lançado em Marechal Cândido Rondon

Em comemoração à Semana do Meio Ambiente, foi realizado na quarta-feira, (9), o lançamento do Projeto Ecopontos em Marechal Rondon. Trata-se de uma iniciativa do Conselho Municipal de Meio Ambiente (CMMA), em parceria com a prefeitura rondonense, através da Secretaria de Agricultura e Política Ambiental, que tem por objetivo despertar a conscientização da população, incentivando a destinação dos resíduos recicláveis ao Ecoponto municipal em troca de um vale para utilização em feiras de produtores do município.

O projeto conta com a parceria de várias entidades, entre elas a Itaipu Binacional, Acempre (Associação Central de Produtores Rurais Ecológicos), Capa (Centro de Apoio ao Pequeno Agricultor), Feira Sabor e Arte, Cooperagir (Cooperativa dos Agentes Ambientais de Marechal Rondon e ACAN (Associação dos Catadores Amigos da Natureza). Além de representantes das entidades citadas, também prestigiaram o lançamento representantes da câmara de vereadores e servidores municipais.

COMO PARTICIPAR – Para participar, o morador de Marechal Rondon deve se dirigir ao Ecoponto, no parque de exposições, durante o mês de junho e retirar a ficha de cadastro e o saco de ráfia para armazenar o resíduo reciclável. Depois é só entregar a ficha preenchida, juntamente com o reciclável separado (limpo e seco) e aguardar a homologação da inscrição. O munícipe receberá, via aplicativo, os créditos que poderão ser utilizados na Feira Sabor e Arte ou na Acempre. Todo o material reciclável entregue no Ecoponto é destinado para ACAN e a Cooperagir, que são as organizações de catadores formalizadas no município.

ECOPONTO – Além de fomentar a reciclagem, a iniciativa serve para que os moradores aproveitem a estrutura do Ecoponto para a destinação de outros resíduos, como galhos, restos de grama, pequenos volumes de entulhos de construção, madeira, eletrônicos, entre outros.  O Ecoponto atende de segunda à sexta-feira, das 8h às 11h45 e das 13h30 às 19h e aos sábados das 8h às 11h45 e das 13h30 às 17h.

“O horário estendido possibilita que a população faça a destinação adequada dos materiais e isso representa economia para o município, que não precisa ir coletar esse material, muitas vezes descartado de maneira irregular, causando muitos transtornos e virando foco de dengue” ressalta o Secretário de Agricultura e Política Ambiental Adriano Backes. O secretário destacou, ainda, que o projeto foi implantado pela Lei nº 5.229 de 17 de março de 2021, sancionada pelo prefeito Marcio Rauber.

EXPECTATIVA – Nesta primeira etapa, a expectativa, conforme o engenheiro ambiental da prefeitura, Marcos Chaves, é o cadastramento de 200 munícipes, os quais terão oportunidade de participar do projeto entregando o material reciclável no Ecoponto e recebendo os vales denominados de “Ecopontos” para utilizar em feiras, ou ainda reverter os benefícios para alguma entidade assistencial do município, como a APAE ou o Asilo Lar Rosas Unidas.

Chaves explica que se o projeto tiver boa adesão, a ideia é que se torne permanente, tendo em vista que leva em consideração os três aspectos da sustentabilidade. “O ambiental, pois minimiza o impacto ambiental pela disposição dos resíduos sólidos e mantém os bairros limpos, evitando a proliferação de vetores de doenças; o econômico, pois gera renda com a comercialização dos materiais recicláveis coletados e pela comercialização dos alimentos dos feirantes; e o social, pois gera emprego, conscientização e melhoria da qualidade de vida das pessoas participantes e envolvidas com o projeto”, destacou o engenheiro.

MARECHAL CÂNDIDO RONDON