Tecnologia Irriluce será apresentada no InovaAgro, em Marechal, PR.

Grupo Fienile em parceria com o Parque Tecnológico de Itaipu (PTI) apresentará aos produtores da região aTecnologia Irriluce – tecnologia de iluminação artificial para a lavoura.

Dos dias 19 a 21 de janeiro o Grupo Fienile participará do InovaAgro, evento realizado pelo PTI dentro do Dia de Campo, evento realizado pela Copagril, em Marechal Cândido Rondon, PR, o mais tradicional e importante evento técnico da cooperativa, que chega a atrair 13 mil pessoas durante o período. O objetivo é demostrar a Tecnologia Irriluce e os impactos positivos que ela pode trazer para a melhoria da produtividade e qualidade da produção aos produtores aqui da região Oeste do Paraná.

O Dia de Campo é realizado anualmente e reúne milhares de cooperados, clientes e visitantes que passam para conferir as novidades em soja, milho, pastagens, insumos para a agricultura e também pecuária. E o InovaAgro, realizado pelo PTI, contará com workshop de demandas dos produtores rurais; além de apresentar as soluções e startups que fazem parte dos parceiros. O CEO do Grupo Fienile, Gustavo Alexandre Grossi, explica que a participação é muito importante para apresentar a Tecnologia Irriluce aos produtores da região, “Vamos trazer um pivô de irrigação já com módulos led instalados em um modelo de tamanho real para servir como experiência ao produtor que está tomando conhecimento da nossa tecnologia e que busca estar em contato com as novidades para melhorar a sua produtividade na lavoura”, explica.

O Grupo Fienile, de Minas Gerais, atua em vários estados do Brasil e está em Foz do Iguaçu e região desde agosto do ano passado, como estratégia de divulgação e implementação da Tecnologia Irriluce – tecnologia de iluminação artificial para a lavoura – aos agricultores e empresários da nossa região. Gustavo Grossi, conta que o objetivo do Grupo aqui é criar um centro estratégico para trabalhar com a tecnologia de iluminação artificial, e outras tecnologias agregadas, que, uma vez instalada, demanda pesquisas e validações: “Nós chegamos à região Oeste do Paraná após uma oportunidade de trabalharmos em parceria com o Parque Tecnológico de Itaipu (PTI) e de contribuirmos para o desenvolvimento desta região, e isso é estratégico em vários sentidos, seja por tratar-se de uma região de tríplice fronteira, uma região importante na agricultura e com uma grande demanda de área irrigada, ou com potencial para irrigação e suplementação luminosa, e para a expansão do nosso trabalho, além de ser  uma cidade abençoada e contemplada por, ao mesmo tempo, ser a cidade das águas e a cidade das luzes, tudo em um mesmo local, o essencial para a vida existir e crescer”, pontua.

ATecnologia Irriluce consiste na iluminação artificial da lavoura, quando o sol já foi embora, auxiliando assim o processo de fotossíntese da planta e contribuindo com a qualidade e produtividade. Para isso são acopladas módulos de led aos pivôs de irrigação, ainda na fábrica de pivôs, em empresas parceiras do Grupo. A iluminação artificial otimiza o processo de fotossíntese da planta, complementando, inclusive, a quantidade de horas-luz necessária por dia para que a planta se desenvolva em locais nublados, onde o inverno é mais rigoroso, como o que acontece por exemplo no Sul do Brasil. “Nós sempre deixamos bem claro no momento em que chegamos até o agricultor que não é somente investir na Tecnologia Irriluce, ou adquirir o pivô de irrigação, ou mesmo adaptar o pivô de irrigação de água que ele já possui com a tecnologia de irrigação de luz, é preciso muito mais do que isso. É preciso estar disposto a contribuir com a pesquisa, receber pesquisadores na sua propriedade para avaliar o desenvolvimento do projeto pelo menos nos três primeiros anos.” Esclarece Gustavo Grossi.

O Grupo Fienile tem sede em Monte Carmelo, Minas Gerais, e a tecnologia já está presente em várias regiões do país: Bahia, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, além de em outras cidades de Minas Gerais, onde pesquisadores, entre mestres e doutores, realizam pesquisas sobre a qualidade do solo, a capacidade de absorção d’água, o crescimento da cultura, a qualidade nutricional da planta, a ação da luz sobre a planta, o efeito sobre insetos e microrganismos, o tipo de manejo mais adequado e até mesmo o efeito de diferentes cores de luz, entre muitos outros aspectos.

Assessoria de Comunicação: Daniela Pereira. Jornalista Mtb 8120/PR