Autoridades destacam a importância da imunização contra a Covid-19

A aplicação da segunda dose de vacina contra a Covid-19 para o público de 12 a 17 anos iniciou, ontem (18), em Toledo. Em decorrência do estudo observacional, o Município foi o primeiro do Brasil a imunizar em massa os adolescentes desta faixa etária. Para marcar essa nova etapa, o secretário de Saúde do Paraná Beto Preto esteve no Município e participou de um ato com a presença de diversas autoridades no auditório Acary de Oliveira.

Segundo o secretário de Estado de Saúde, Beto Preto, o Paraná é parceiro dessa iniciativa realizada em Toledo. “Esse ato ainda terá uma série de desdobramentos científicos, o que engradece o Paraná. Hoje [ontem] trago uma mensagem do governador do Paraná Ratinho Junior de apoio e agradecimento para as pessoas envolvidas nesta ação. O estudo nos traz esperança”.

Beto Preto recorda que o Natal do ano passado foi considerado difícil para muitas famílias; em 2021, o cenário é diferente, pois o Paraná está em um horizonte a frente. “No auge da pandemia, os profissionais da Saúde dos municípios não pararam de trabalhar; eles sempre colaboraram na distribuição das vacinas. O empenho dos profissionais fez com que dialogássemos com as famílias do Paraná. Hoje, nós temos uma vacina segura e que nos traz imunidade”.

Agora, a esperança do Estado está voltada para a homologação da vacina para as crianças da faixa etária de 5 a 11 anos. De acordo com o secretário de Saúde do Estado, a documentação já está na Anvisa. “Com a homologação, fecharemos ‘o cerco’ contra esse vírus. Estamos empenhados para observamos os resultados no futuro. O Paraná vai continuar vacinando”.

EVOLUÇÃO – Os resultados da imunização da população já podem ser observados em Toledo. O prefeito Beto Lunitti enaltece o trabalho da equipe, a qual colaborou no convencimento da população e menciona que Toledo, atualmente, registra 89 casos ativos, quando já ultrapassou dois mil casos ativos. “A ciência tem um serviço importante na evolução na humanidade e Toledo colabora nessa evolução”.

Mas, o prefeito ainda se mantém cauteloso e solicita que a população mantenha o uso da máscara e do álcool em gel. “Precisamos manter esse momento de felicidade e o sentimento latente é a gratidão. A nossa gratidão a todas as pessoas envolvidas neste processo”, afirma Beto Lunitti ao citar ainda os sentimentos de empatia e de compreensão alheia. “Nós precisamos e temos que melhorar o Brasil. Gratidão esse é o sentimento”.

PESQUISA – Em síntese, o objetivo deste ato, considerado histórico, é a valorização da pesquisa. Conforme a professora da Universidade Federal do Paraná (UFPR) Cristina de Oliveira Rodrigues, o ato é uma oportunidade ímpar para todos os profissionais estarem juntos e abordarem a ciência e a pesquisa.

Segundo o representante do Hospital Moinhos de Vento, Dr. Regis Goulart Rosa, “a partir da pesquisa, dados importantes serão coletados e os pesquisadores conseguirão avaliar se os efeitos produzidos pela vacina são reproduzidos no contexto de vida real. Considerando a genética e as variantes do vírus”.

Ele explica que como qualquer novo tratamento existe a necessidade de monitorar os efeitos em longo prazo e, posteriormente, agregar o que existe de conhecimento sobre a Covid-19. “A equipe responsável pelo estudo vai avaliar diversos parâmetros, os quais são informações relevantes. Os resultados vão auxiliar no enfrentamento da pandemia”.

Na ocasião, a secretária de Saúde de Toledo, Gabriela Kucharski, contextualizou a situação do Município após o início da imunização desta faixa etária. “Os números são considerados expressivos após a vacinação dos jovens. Anteriormente, a média móvel chegava a 50 novos casos por dia. Atualmente, o número está inferior a dez novos casos diários. Também existe uma redução expressiva dos internamentos em leitos de UTI e do registro de óbitos. A nossa população aderiu de forma importante e já temos 100% da população imunizada com uma dose. É um orgulho contribuir com a ciência e o conhecimento, assim venceremos essa pandemia”.

MAIS SAÚDE – Mais do que superar a pandemia da Covid-19, a líder médica de vacinas da Pfizer, Dra Olga Mellone, destaca a busca por soluções que possam auxiliar e apoiar as pessoas. “Nós queremos que a sociedade tenha a melhor saúde e o nosso propósito é elevar à saúde. São investidos recursos para o desenvolvimento de novas vacinas e moléculas. Desde o começo desta pandemia, a Pfizer trabalha de forma incansável para ter uma vacina e fazer a diferença na vida das pessoas”.

A vacina traz novas perspectivas para o futuro e o estudo colaborativo vai avaliar aquele caso sintomático, a hospitalização, enfim, compreender como a doença se comportou a partir da imunização. “Por que Toledo? Toledo é a cidade ideal para fazer esse estudo. A condição geográfica é perfeita para estudar a população; tem uma boa estrutura física e temos o apoio da Prefeitura. Por sua vez, o estudo genômica será realizado pela UFPR. Estamos motivados e o estudo trará boas informações”.

CIÊNCIA – São informações científicas que vão colaborar com os gestores. O presidente da Câmara de Vereadores Leoclides Bisognin destaca que acredita na ciência. “Infelizmente, a minha esposa não teve a chance de receber nenhuma vacina. Eu acredito na ciência e aquele que não acredita na ciência não deveria colocar os filhos na escola”, disse emocionado. Bisognin pondera que milhões de pessoas já foram salvas com a vacina. “O Brasil é um dos países que mais vacinou no mundo. Em um futuro, muitas pessoas vão valorizar o Sistema Único de Saúde (SUS)”.

Na oportunidade, o vice-prefeito, Ademar Dorsfchmidt, destaca que a gestão em saúde deve ser realizada a partir de um trabalho técnico e o Município de dever tem cumprido esse papel. “Éramos uma região esquecida pelo Estado e esse Governo nos estendeu a mão quando mais precisávamos. Leve o nosso reconhecimento ao governador”.

O secretário de Administração e Previdência do Estado, Marcel Micheletto, pondera que Toledo conseguiu construir um ambiente para dar suporte à população e o secretário de Saúde de Estado Beto Preto reestruturou a saúde em todos os locais. “A partir da transformação interna na saúde do Estado conseguimos quebrar paradigmas e realizar mudanças culturais. Durante a pandemia, nós oferecemos suporte aos municípios e aos hospitais para que tivéssemos o mínimo de perdas”.

Por fim, o município de Toledo foi escolhido para receber o estudo devido a sua organização durante o processo de vacinação dos seus cidadãos. “Sempre mantivemos o total respeito às regras do Plano Nacional de Imunização (PNI) e isso foi preponderante na seleção”, finaliza a secretária de Saúde de Toledo Gabriela Kucharski.

IMUNIZAÇÃO

A Secretaria de Saúde montou pontos avançados de vacinação, sendo eles nos Centros da Juventude dos Jardins Europa e Coopagro, Certi Pioneiro e Ginásio de Esportes Hugo Zeni. Os locais funcionarão das 8h às 20h, com as senhas entregues a partir das 7h até o dia 22 de novembro. Nesses dias, as salas de vacina das Unidades Básicas de Saúde (UBSs) não terão atendimento. Para receber a segunda dose é preciso estar munido de documentos pessoais, cartão SUS e comprovante de endereço.

Da Redação

TOLEDO