Contato com a natureza estimula desenvolvimento das crianças

Incentivar que as crianças tenham contato com a natureza traz diversos benefícios para os pequenos. Como a criação dos filhos é algo muito particular, existem famílias que apresentam resistência em deixarem que as crianças brinquem no meio ambiente, que elas tenham contato com a terra por acreditaram que isso pode afetar a saúde. A exposição de maneira controlada ajuda os pequenos a ficarem mais fortes além de desenvolver outras habilidades.

“Quando analisamos os contextos que envolvem o desenvolvimento da criança, encontramos diversos benefícios permitir que ela tenha contato com a natureza, deixar que brinque com a terra”, pontua psicopedagoga, Dori Inez. “Estudos da área da saúde também apontam que o meio ambiente é saudável para os pequenos, ou seja, ajuda a desenvolver os anticorpos no corpo e aprimora a capacidade de defesa do organismo”.

Dori declara que a natureza é uma ‘porta’ para a criatividade das crianças. Ela exemplifica que quando o pequeno tem contato com os elementos do meio ambiente, como a terra, os galhos, os troncos das árvores, consegue criar diversas brincadeiras e fazer desses elementos, que para os adultos são o que são, mas para as crianças são brinquedos.

“Cada elemento contribui para que elas criem as brincadeiras e ousem ao criarem comidinha com terra e folhas, castelo de areia, entre outras atividades que surgem da criatividade delas. Esse contato contribui para o desenvolvimento do pensamento crítico, além de passarem a ter noção das situações, por exemplo, depois de se sujarem de terra na brincadeira irão aprender que isso exige a troca da roupa, o banho, o lavar com cuidado embaixo das unhas, e dessa forma aos poucos aprendem a constatar isso e panejar as brincadeira”, salienta.

Ainda sobre o desenvolvimento da criança, a profissional comenta que o manter o convício com os elementos do meio ambiente também estimulam a noção de corpo e de limite. Ela cita como exemplo que uma pessoa que deixa de ter esse contato mínimo quando criança, na fase adulta pode vir a desenvolver problemas psicomotores como dificuldade em correr.

CONTATO SAUDÁVEL – “Brincar na terra faz bem ainda mais nas condições de isolamento que vivemos. Promover brincadeiras ao ar livre faz bem para toda a família e principalmente para as crianças. Logicamente, que é preciso alguns cuidados para que a brincadeira seja saudável, por exemplo, evitar lugares sujos como aqueles com acumulo de lixo e fezes de animais, ter as vacinas em dia e fazer a higienização adequada após a brincadeira. Privar os pequenos de ter contato com a natureza, com a terra, é uma forma de bloquear nossa essência e ‘travar’ a criatividade”, alerta.

Da Redação

TOLEDO