Dia Nacional do Doador de Sangue: doação que salvam vidas

Conquistas consolidadas e obstáculos desafiadores são os pontos em destaques que marcam as comemorações do Dia Nacional do Doador Voluntário de Sangue (celebrado na data de 25 de novembro) pela Unidade de Coleta e Transfusão de Toledo (UCT – Banco de Sangue). São 24 anos de atuação e dedicação para atender os 18 municípios da área de abrangência da 20ª Regional de Saúde.

Em setembro a para um espaço amplo e arejado com mais comodidade para os doadores e equipe de trabalho: a nova sede. Os trabalhos de coletas e outras demandas do Banco de Sangue seguem normalmente. A inauguração oficial estava prevista para esta semana e a ideia inicial era promover uma solenidade no dia de hoje para marcar essa conquista e homenagear os doadores, contudo, não foi possível seguir o planejado.

“Tínhamos programada a inauguração para o dia 25”, explica o diretor da 20ª Regional de Saúde, Alberi Locatelli. “Aproveitaríamos a data para dar o enfoque ao Dia do Doador de Sangue e reforçar a importância desse ato. Entretanto, estamos aguardando a agenda do secretário do Estado para que possamos promover a inauguração oficial e dar o destaque ao trabalho realizado pelo Banco de Sangue e pelos doadores”.

O INÍCIO – A Unidade de Coleta e Transfusão de Toledo entrou em funcionamento na data de 5 de outubro de 1997. Porém, iniciou as coletas de sangue somente no mês de janeiro do ano seguinte. Na época, o Banco de Sangue era administrado pela Prefeitura em parceira com a Secretaria estadual da Saúde (Sesa). A partir de agosto de 2005, a Unidade passou a ser gerenciada pelo Consórcio Intermunicipal de Saúde Costa Oeste do Paraná (Ciscopar) em parceria com a Sesa. O Banco de Sangue de Toledo, além das doações, também realiza o cadastro de candidatos à doação de medula óssea. As bolsas são distribuídas nos 18 municípios da 20ª Regional de Saúde, entre as unidades de saúde conveniadas (hospitais e clínicas).

NOVA SEDE – A estrutura possui 863 metros quadrados com investimentos de aproximadamente R$ 2,2 milhões por meio da Secretaria de Estado da Saúde. O prédio está localizado ao lado do Consórcio Intermunicipal de Saúde Costa Oeste do Paraná (Ciscopar) e vai oferecer maior espaço e conforto aos usuários do serviço.

Durante o período de mudança e ajustes do sistema, o Banco de Sangue de Toledo teve que suspender as coletas. Para garantir que os estoques sejam mantidos, a Unidade tem buscado intensificar a captação de doadores e trabalhar no limite da capacidade.

Em Toledo, a maneira como ocorre o agendamento recebeu melhorias. Agora, a ação pode ser realizada de maneira on-line no endereço www.saude.pr.gov.br/doacao. O agendamento pelo site está em processo de implantação, por enquanto, os agendamentos por telefone ou pessoalmente continuam. No futuro, a proposta é realizar o agendamento somente pelo site.

SER DOADOR – Para ser um doador é preciso estar em boas condições de saúde; ter entre 16 e 69 anos (a novidade é que adolescentes entre 16 e 17 não precisam mais estar acompanhados dos pais ou responsável, basta ter uma autorização assinada pelo tutor e no ato da doação ter um adulto responsável legal acompanhando. Acima de 60 anos só se já for doador); ter peso superior a 50 quilos e apresentar um documento oficial com foto. Homens podem doar a cada 60 dias e até quatro vezes em um ano. Já as mulheres, a cada 90 dias e até três vezes em um ano.

Os atendimentos acontecem segunda a sexta. Somente nas segunda que o atendimento aos doadores é realizado, exclusivamente, no período da tarde. Os doadores podem fazer contato através dos telefones (45) 3379 1993 (UCT) e (45) 3379 6900 (20ª Regional de Saúde). A Unidade também dispõe das linhas exclusivas para uso dos hospitais em contato direto com o laboratório pelos telefones: (45) 3379-5979 e (45) 99912-8699.

SOLIDARIEDADE QUE SALVA VIDAS – Com uma doação é possível salvar até três vidas, devido o fracionamento do sangue. Após ele ser coletado precisa ser processado e fracionado em hemocomponentes. Assim uma doação resulta a produção de três tipos de hemocomponentes: plasma fresco, plaquetas e hemácias. Não se transfunde o sangue total. Esse fracionamento otimiza o uso do sangue, pois o paciente só irá receber o componente que ele realmente precisa e isso garante uma melhor estabilidade na questão de estocagem.

Passo a passo da coleta:

– O candidato à doação deve ser cadastrado no sistema do Hemepar;

– Na Triagem Clínica é realizada uma entrevista onde será avaliado se preenche os requisitos necessários à doação de sangue, conforme legislação;

– Na Triagem Hematológica, com apenas uma gota de sangue é realizado um rápido exame para verificar se o doador apresenta anemia, o que o impede de doar;

– Na Sala de Coleta é onde ocorre a doação propriamente dita, onde são coletados aproximadamente 450 ml de sangue;

– Após a coleta, o doador é encaminhado para a sala de lanche e deve permanecer no Hemepar por pelo menos 15 minutos.

Da Redação

TOLEDO