Exames gratuitos visam prevenir osteoporose

O Dia de Prevenção da Osteoporose será na próxima quinta-feira (30). Exames gratuitos de ultrassonometria óssea do calcâneo serão realizados nas instalações da Imed Toledo. O público alvo são mulheres com mais de 40 anos e homens acima dos 50 anos ou pessoas com fatores de risco para desenvolver osteoporose precocemente.

As pessoas interessados – que estejam no público alvo –  devem entrar em contato pelo WhatssApp (45) 99844-0224 para agendar o exame. O agendamento é para garantir a vaga e organização da equipe, contudo, no dia do exame se ainda tiver horário disponível o paciente será atendido. A ação é uma realização da Clínica de Reumatologia de Toledo e Imed Toledo.

“Aqui na Clínica é a primeira vez que faremos esse projeto”, cita o médico reumatologista com área de atuação em densitometria óssea, Leonardo Michaelis Schmidt. “Há alguns anos realizamos um projeto semelhante na Central de Especialidades de Toledo, que teve muito sucesso, e com resultados positivos na triagem de pacientes com risco de osteoporose”.

O médico esclarece que neste ano a ideia surgiu devido a disponibilidade do aparelho portátil de ultrassonometria óssea de calcâneo de forma gratuita, pelo período de um dia, fornecido por um laboratório da indústria farmacêutica. Ele pontua que como a Clínica já é referência aqui para diagnóstico e tratamento de osteoporose, o laboratório concedeu esse equipamento para o projeto.

“Como é um equipamento portátil e o exame é de fácil e rápida realização, estimamos a capacidade de realizar até 100 exames durante este dia. O exame é indolor, realizado na região do tornozelo (calcanhar), não precisando de nenhum preparo prévio para tal”, explica.

A DOENÇA – Receber o diagnóstico precoce, segundo Schmidt, é fundamental porque a osteoporose é uma doença silenciosa. Ele destaca que a osteoporose não têm muitos sintomas até que a pessoa possa sofrer alguma fratura por algum trauma mínimo, uma queda dentro da própria casa, por exemplo, ou mesmo de forma espontânea como ocorre com as fraturas vertebrais.

Conforme o médico, a osteoporose é uma desordem óssea que ocorre por perda da densidade desses ossos, favorecendo a ocorrência de fraturas. “Ela ocorre mais frequentemente nas mulheres na pós-menopausa e nos homens acima dos 50 anos. Estudos revelam que cerca de 200milhões de pessoas em todo mundo sofrem de osteoporose. Estima-se que a partir dos 50 anos de idade, 30% da mulheres e 13% dos homens sofrerão algum tipo de fratura ao longo de sua vida”.

FATORES DE RISCOS – A prevalência da doença aumenta com o passar da idade, sobretudo nas mulheres depois da menopausa e homens acima dos 50 anos. O médico comenta que existem outras doenças que também predispõe risco de osteoporose, como o caso de doenças reumáticas (artrite reumatoide, lupus) e também uso de certas medicações como corticoides, anticonvulsivantes, anticoagulantes entre outros. Além disso, fatores como tabagismo, sedentarismo e baixa ingestão de cálcio pela dieta favorecem também ao surgimento da doença.

“A qualidade de vida pode ser afetada a partir do momento da ocorrência de alguma fratura óssea por fragilidade, pois isso gera incapacidade física, dependência para realização de atividades básicas cotidianas e até mesmo aumento de mortalidade. Estima-se que ocorram 20% de óbitos após o 1º ano de uma fratura de quadril, por exemplo”, declara ao reforçar a importância do diagnóstico precoce.

Da Redação

TOLEDO