Produção de testes no Paraná pode auxiliar no controle da pandemia

Os deputados Michele Caputo (PSDB) e Rodrigo Estacho (PV) visitaram o Instituto de Biologia Molecular do Paraná (IBMP). O objetivo da visita foi conhecer a produção do teste rápido de antígenos para detecção da Covid-19. O novo teste é 10 vezes mais barato que o RT-PCR e o resultado fica pronto em 15 minutos.

Junto com os deputados da Frente Parlamentar do Coronavírus, Caputo está trabalhando em uma estratégia para ampliar o acesso a testagem no Paraná. “Esse teste pode ser uma das grandes armas para controle da pandemia no Estado, pois é apenas com a testagem em massa que poderemos melhorar a identificação da Covid-19 e fazer o adequado isolamento dos casos positivos”, comentou.

Além de financeiramente mais viável e mais rápido, o novo teste tem uma confiabilidade de mais de 92% e já foi aprovado na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Com o diagnóstico rápido é possível que a pessoa receba o resultado no mesmo local da coleta, e se positivo, entre em isolamento imediatamente, contribuindo para diminuir a transmissão do vírus, inclusive se ela estiver assintomática.

O vice-presidente do IBMP, Fabrício Marchini, acompanhou Caputo e Estacho durante a visita à instituição. “Nosso objetivo é desenvolver produtos para auxiliar no controle da pandemia. Ou seja, além do processamento dos exames RT-PCR, também trabalhamos paralelamente para desenvolver este teste de antígeno, que tem a praticidade de ser feito em uma unidade de saúde ou em drive-thru, por exemplo”, disse.

Atualmente, o IBMP também é responsável por quase 70% de todos os testes de RT-PCR realizados no Paraná, com cerca de 10 mil testes processados diariamente. Por isso, as amostras coletadas de pacientes com suspeita da Covid-19 em diversas cidades do Estado precisam ser levadas até Curitiba para o processamento e disponibilização posterior dos resultados, o que demanda mais custos e torna o processo moroso.

CURITIBA