19º BPM e Corpo de Bombeiros de Toledo reforçam a Operação Verão Consciente

Com a finalidade de intensificar as ações de fiscalização nas regiões de balneário e reforçar a segurança dos banhistas nesta época do ano, a Secretaria de Segurança Pública (Sesp) coordena em todo o Estado do Paraná a Operação Verão Consciente 2021 desde o dia 19 de dezembro do ano passado.

Esta ação conta com bombeiros, policiais civis e militares atuando no litoral e nas praias de água doce do Oeste e Noroeste. A Operação também recebe o reforço do efetivo do interior. De acordo com o major subcomandante do 19º Batalhão de Polícia Militar de Toledo (BPM) Valmir Souza, policiais do Batalhão foram enviados para a região do lago do Itaipu em áreas de balneário como Santa Helena e Porto Mendes.

“O trabalho da equipe está concentrado na fiscalização e na orientação. Há locais em que as atividades para banhistas está restrita por conta da pandemia, e a PM está atenta aos decretos para que se faça cumprir a legislação”, comenta.

Duas equipes do Corpo de Bombeiros de Toledo também foram enviadas para a Operação Verão Consciente 2021. Conforme o 2º tenente Eduardo Ortiz Novinski, cinco bombeiros foram atuar na costa Leste e quatro foram empregados na costa Oeste no posto de guarda-vidas no município de Entre Rios do Oeste.

“Os que foram para a costa Leste estão divididos em três municípios do litoral: Pontal do Paraná, Matinhos e Guaratuba. Também, estão empenhados nas mais diversas funções como guarda-vidas, socorristas, guarnição de combate a incêndio”, explica.

Novinski enfatiza que o foco do Corpo de Bombeiros na Operação Verão Consciente é sempre voltado para a prevenção, isto é, evitar que o salvamento ocorra. De acordo com o tenente é possível atingir esse objetivo por meio das orientações aos banhistas, bem como com as sinalizações indicando os locais mais apropriados para banho. “Mas, caso ocorra o salvamento, que é a intervenção no meio aquático, os Guardas Vidas estão prontos para realizar o salvamento”, complementa.

OCORRÊNCIAS – Com as restrições da pandemia da Covid-19 e a redução no número de pessoas circulando, principalmente nos balneário, o tenente adianta que é possível identificar uma redução de ocorrências em meio líquido, que é o afogamento, neste período em comparação com o anterior.

Como exemplo, nos meses da Operação Verão 2019/2020, que correspondem a dezembro, janeiro e fevereiro, no litoral paranaense foram 676 resgates, com 880 vítimas e cinco óbitos. Na Operação Verão 2020/2021 até a última segunda-feira (25) foram feitos 414 resgates, com 525 vítimas e três óbitos.

“Contudo, na Operação Verão 2020/2021 ainda tem o mês de fevereiro. Então, é possível dizer que no período de pandemia houve redução no número de ocorrências de afogamento, podendo ter relação com as restrições de aglomeração. Mas as ações de prevenção a afogamento do Corpo de Bombeiros também se mantiveram”, afirma o tenente.

FISCALIZAÇÃO – Além das áreas de recreação, a Operação Verão Consciente 2020/2021 intensifica a fiscalização no comércio, uma ação realizada em parceria com os órgãos municipais e que constitui a Ação Integrada de Fiscalização Urbana (AIFU), que orienta e fiscaliza o comércio, em cumprimento ao decreto estadual que instituiu restrições como o horário de funcionamento dos estabelecimentos e a venda e o consumo de bebidas alcoólicas em vias e espaços públicos.

“Nós percebemos que a comunidade está tendo consciência e respeitando as normas e está colaborando intensamente com o trabalho da nossa equipe. O nosso objetivo é sempre fortalecer a segurança para os banhistas, para quem está a passeio, principalmente, neste momento quando aumenta a circulação de pessoas nos balneários no sentido de prevenir acidentes na água também”, pontua o major Souza.

ORIENTAÇÃO – O major Souza lembra que para aproveitar o máximo do verão e com segurança é preciso respeitar as normas visando o bem de toda a comunidade. “Esse é o momento de convivência. Apesar da pandemia, muitas pessoas saem de casa, viajam e todos devem respeitar o espaço alheio não avançando no direito do outro”.

Ao frequentar balneários, lagos ou rios, o banhista deve observar se existe o serviço de Guardas-Vidas, perguntar qual é o melhor local para banho e procurar nadar próximo a ele. O 2º tenente do Corpo de Bombeiros Eduardo Ortiz Novinski reforça alguns cuidados como; evitar ingerir bebidas alcoólicas e alimentos pesados antes de entrar na água; nadar longe de pedras, estacas ou piers; respeitar as sinalizações de perigo; certificar-se da profundidade da região em que deseja mergulhar; e não entrar na água quando estiver chovendo, tanto pelo risco de raios, mas também pela questão do fenômeno conhecido como cabeça d’água, que é o aumento repentino do volume do rio, causado por fortes chuvas nas cabeceiras ou nos trechos mais altos dos leitos.

Para quem for frequentar piscinas, o local deve ter grades ao redor pois elas dificultam o acesso de crianças; deve evitar colocar boias de braço nas crianças pois elas não reduzem o risco de afogamento, o certo é o colete; evitar brinquedos próximos à piscina, eles funcionam como verdadeiros atrativos; desligar o filtro da piscina quando estiver usando-a.

No mar é preciso cuidar com as valas conhecidas como buracos. Nelas há maior correnteza apesar de aparentar uma falsa calmaria. Ao pescar em pedras, observe se a onda não pode alcançá-lo e afaste-se de animais marinhos como água-viva e caravelas.

Outra dica do tenente é sobre como agir ao verificar uma situação de afogamento. “Evite socorrer a vítima sem conhecimento técnico, isso pode causar mais acidentes. É comum quem tenta ajudar uma vítima de afogamento acabar se afogando também. Deve-se jogar boias ou outros objetos flutuantes, como garrafas pets vazias, que podem ajudar muito mais até que o socorro adequado chegue”.

Da Redação

TOLEDO