77% dos eleitores de Toledo compareceram às urnas no domingo

Nas eleições municipais deste ano, 76.657 eleitores da 75ª Zona Eleitoral de Toledo compareceram às urnas para o exercício da cidadania no último domingo (15). Este número representa 77,67% do total de 98.692 eleitores aptos a votarem. Mais uma vez, o número de abstenções chama a atenção. Neste pleito, 22.035 eleitores não compareceram às urnas, representando 22,33% do total.

De acordo com Relatório do Resultado de Totalização, emitido pela Justiça Eleitoral do Paraná, 2.724 eleitores não escolheram um candidato a prefeito, votando em branco, o que representa 3,56%; e 3.330 eleitores anularam o seu voto para o cargo do Poder Executivo, representando 4,34%.

Apesar de expressivos, os dados não fogem da margem histórica registrada em Toledo, de acordo com o cientista político e professor da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), campus Toledo, Gustavo Biasoli Alves. Ele ainda acrescenta que os números de abstenção, aqueles eleitores que não compareceram às urnas neste ano, não estão totalmente relacionados à pandemia da Covid-19.

“É preciso analisar o perfil deste eleitor que não compareceu. Se é um público com mais idade e que não tem a obrigatoriedade de votar; se são eleitores mais jovens, o que pode indicar falta de interesse pela política ou falta de conhecimento da importância do processo eleitoral”.

Alves comenta que esses dados apontam que é preciso reforçar o diálogo entre as lideranças partidárias, os partidos e a sociedade. “Independentemente do resultado eleitoral, é interessante ter essa proximidade e o diálogo com a comunidade pensando a política como uma atividade constante”, acrescenta.

 

BRANCOS E NULO – Os percentuais de brancos e nulos, apesar de pequenos, juntos representam 6.054 votos (7,9%) que não foram para nenhum candidato. Alves salienta que esse percentual de eleitores indica que as lideranças partidárias precisam reforçar o trabalho com a comunidade.

“Esses votos representam um vidro fosco. Sabemos que tem o índice, mas não temos uma amostragem de pessoas. A única forma de ter essa resposta seria através dos questionários das pesquisas eleitorais. Só assim teríamos um diagnóstico que mostraria porquê o eleitor vai votar em branco ou nulo. Isso poderia ajudar até mesmo os candidatos na corrida eleitoral para mudar as estratégias para alcançar esses eleitores”, finaliza o cientista político.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *