Apac recebe visita de uma comitiva do Depen

Uma comitiva do Departamento Penitenciário (Depen) com representantes no âmbito nacional, estadual e municipal visitaram, recentemente, as instalações da Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac) de Toledo. A visita já rendeu o indicativo de aprovação do valor de aproximadamente 90% dos equipamentos que contempla a finalização do refeitório.

Conforme o presidente do Conselho da Apac, Edson Carollo, a visita permitiu que a comitiva fizesse uma avaliação com a finalidade de ajustar os últimos detalhes para posterior assinatura dos convênios inerentes à contratação de colaboradores. Além disso, prevê o repasse de alguns equipamentos da cozinha e do refeitório.

“Foi importante receber essa visita para que as esferas do Depen possam acompanhar de perto a conclusão da obra. A comitiva pode observar que os espaços concluídos. O que notamos da comitiva foi que os representantes ficaram satisfeitos com o que viram em Toledo”, declara Carollo.

EQUIPAR OS AMBIENTES – Neste momento, segundo o presidente, estão concluídas as instalações físicas do prédio. Ele cita que para equipar os espaços, o Conselho da Apac conta com o apoio e doações da comunidade, pois todos os recursos que tinham em caixa já foram utilizados na obra.

“Todos os ambientes da estrutura contemplam os pilares da proposta metodológica de trabalho da Apac. Ainda é preciso equipar todos esses espaços. A sala de estudo e futuro laboratório de informática contempla o pilar da educação – que visa fazer com o recuperando tenha acesso a capacitação profissional para o mercado de trabalho – já na cozinha/refeitório eles irão preparar as refeições, pois não recebem os alimentos prontos; enquanto que a capela contempla o pilar da religiosidade”, explica.

REINSERÇÃO E ACOLHIMENTO – Recuperar a dignidade das pessoas, socorrer as vítimas e proteger a sociedade é um dos lemas que norteiam os trabalhos da Apac. A ideia é que inicialmente sejam inseridos 40 presidiários, mas a proposta é com o tempo aumentar este número.

“Esses recuperandos serão escolhidos de acordo com os critérios determinados pelo poder judiciário. Não é o Conselho da Apac que faz essa escolha. Eles são submetidos a um sistema disciplinar rigoroso, precisam atender determinado perfil e querem integrar essa metodologia, pois a Apac tem regras para serem seguidas”, esclarece o presidente.

O PROJETO – A estrutura foi construída no Jardim Anápolis, em um terreno próximo a BR-163. O terreno da Apac é de 6.400 metros quadrados. Na primeira fase a obra terá 1.310 metros quadrados com cozinha, salas, dormitórios, oficinas de trabalho além de espaço para horta. É um projeto novo, pois a maioria das Apac’s do país foi adaptada em outros prédios, com isso, a obra de Toledo não teve um projeto padrão para ser seguido.

A valorização humana e o trabalho são a base do método de recuperação. Os internos participam de uma formação educacional e também de atividades terapêuticas. Na Apac, as celas são consideradas dormitórios. O preso é considerado um recuperando e as chaves ficam em poder deles.

Da Redação

TOLEDO