Apada: a luta constante para manter os atendimentos

A Associação de Pais e Amigos de Deficientes Auditivos (Apada) de Toledo conta com o apoio da comunidade para manter as portas abertas. Após um período sem atividades, na data de 14 de fevereiro de 2019, a entidade retomou parte dos atendimentos ao público. Até o momento, a Apada ainda aguarda parecer da Justiça em relação às contas da entidade.

Possíveis equívocos na gestão econômica anterior impedem que os governos Municipal e Estadual possam repassar recursos à entidade. Diante desse quadro, o atendimento em educação foi encerrado ainda em 2018. Com essa situação, as crianças que antes eram atendidas na Apada – na ocasião – precisaram ser matriculadas em uma instituição na cidade de Assis Chateaubriand.

“Enfrentamos o desafio de manter a estrutura em funcionamento apenas com a realização de promoções e doações, pois não temos nenhum convênio para prestar esse aporte financeiro”, pontua a presidente do Conselho Deliberativo da Apada, Marli Wagner. “Ainda não saiu o resultado do processo. Faz dois anos que assumimos a gestão e ainda estamos esperando por uma decisão da Justiça”.

Sem um parecer legal sobre as pedidas que precisam ser tomadas, a entidade fica impossibilitada de ofertar o Ensino Fundamental, como acontecia antes de todo esse impasse. A presidente cita que, diante da situação, ainda não é possível afirmar se a Apada irá retomar esse tipo de atendimento, pois o Ensino Fundamental envolve ações mais complexas.

“As crianças não contam mais com o Ensino Fundamental. Mas os adultos estão sendo bem assistidos”, garante Marli. “Não temos a escola, contudo, os demais atendimentos acontecem. Também trabalhamos para que esse público que vive em situação de desemprego e outras dificuldades possam receber cestas básicas doadas pela entidade”.

OS DESAFIOS EM MANTER AS PORTAS ABERTAS – Sem nenhum convênio ativo, a Apada busca alternativas para manter os atendimentos, as atividades, a folha de pagamento dos profissionais que prestam os serviços especializados e as despesas mensais de uma estrutura ativa. O apoio da comunidade é fundamental para que os trabalhos aconteçam.

“Buscamos fazer promoções para arrecadarmos os valores necessários, contudo, neste período de pandemia está mais difícil, pois tudo ficou limitado e com restrições. Além disso, contamos com doações da comunidade, com o bazar solidário, que acontece nas instalações da entidade e com a confecção de máscaras feita por voluntários. Agradecemos a diretoria e também a sociedade que não mede esforço para nos ajudar. Estamos de portas abertas para receber visitas e contarmos com apoio voluntário”, declara a presidente.

ATENDIMENTOS – Sem o Ensino Fundamental, a entidade busca prestar suporte de outras maneiras aos atendidos e seus familiares. Atualmente, a Apada tem ofertado os serviços ao público no período da tarde de segunda a sexta.

São realizados atendimentos com um profissional na área de fonoaudiologia, encaminhamentos para o mercado de trabalho, práticas esportivas também são realizadas nas mediações da entidade duas vezes durante a semana e curso da Língua Brasileira de Sinais (Libras) está com as inscrições abertas.

LIBRAS EM DESTAQUE – Com o intuito de capacitar a comunidade no quesito de comunicação com as pessoas surdas e mudas, a Apada continua promovendo os cursos de Libras. Marli explica que serão abertas turmas para contemplar os níveis básico, intermediário e avançado. Cada uma das modalidades possuem 20 vagas disponíveis, com carga 60 horas em certificado. Cada curso tem o valor de R$ 250,00 – sendo taxa único ou R$ 50,00 na matrícula e até duas parcelas de R$ 100,00 cada uma. Para mais informações sobre datas, turmas e valores dos cursos basta acessar o endereço eletrônico https://forms.office.com/Pages/ResponsePage.aspx?id=DQSIkWdsW0yxEjajBLZtrQAAAAAAAAAAAAZ__pze7jRUNTNWQldEVVZPM1RLN1owSDRGQlVTUk9CQy4u.

TRÊS DÉCADAS DE ATUAÇÃO – A Apada foi fundada na data de 27 de junho de 1987. Neste ano, a entidade irá completar 34 anos de trabalhos, de inserção pela comunicação facilitada das pessoas com problemas auditivos, de encaminhamentos ao mercado de trabalho, de mais qualidade de vida para as famílias atendidas. Para a todos que lutam por essa causa, os serviços não podem para.

FEIJOADA BENEFICENTE

No dia 13 de março, a Apada realiza uma feijoada beneficente. O ingresso tem o custo de R$ 50,00. O prato acompanha arroz, couve e farofa e deve ser retirado na entidade a partir das 11h30. “Quem puder doar marmitas M e G de isopor, carne in natura (pés, orelhas e rabo), materiais de limpeza e sacos de lixo, podem ser deixados na entidade, ou entrar em contato pelo telefone (45) 99981-7581”, comenta a presidente do Conselho Deliberativo da Apada, Marli Wagner.

PENDÊNCIAS

As irregularidades na prestação de contas dos anos de 2013 a 2016 fizeram com que os convênios públicos fossem suspensos. Em 2017, profissionais que trabalhavam na entidade buscaram ajuda do Estado, pois estavam com salários atrasados. Os impasses teriam ocorrido, supostamente, não por desvio de recursos, mas sim pela utilização de maneira indevida, por exemplo, determinado valor estava destinado à compra de material pedagógico e foi aplicado para a aquisição de alimentos. Esses equívocos resultaram em contas pendentes. O processo está ainda em análise na Justiça.

Da Redação

TOLEDO