Assunto financeiro é líder em reclamação no Procon de Toledo no 1º semestre

Levantamento do Procon de Toledo apontou a redução de 30% no atendimento ao público no primeiro semestre do ano passado em relação ao mesmo período de 2019. Em 2021, o público voltou a fazer as suas reclamações e os atendimentos aumentaram em 15% em relação ao mesmo período do ano passado. Até 2020, o principal assunto abordado no Procon era a telefonia. Neste ano, o cenário mudou e os assuntos financeiros aparecem na liderança das queixas dos consumidores.

Nos primeiros seis meses do ano passado, 33% dos atendimentos realizados no Procon de Toledo eram relacionados a telefonia e os assuntos financeiros apareciam com 18%. Até junho deste ano, os assuntos financeiros são 40% do total de reclamações realizadas pelos consumidores e a telefonia aparece com 21%.

Somente o total de atendimento de assuntos financeiros teve um aumento de 170% ao comparar o primeiro semestre do ano passado com o atual. De acordo com a coordenadora do Procon Janice Finkler de Lima, assuntos financeiros estão divididos em três setores: banco, instituições financeiras e cartão de crédito. Os atendimentos entre banco e instituições financeiras totalizaram 37%. O cartão de crédito aparece com 3%.

Janice explica que as reclamações dos consumidores estão relacionadas, principalmente, aos empréstimos consignados não solicitados. “A instituição efetua o empréstimo sem a solicitação do cliente e averba o valor da prestação no salário”, afirma a profissional ao complementar que as pessoas aposentadas são as principais vítimas ou estão vulneráveis a esse tipo de ação.

O consumidor precisa estar atento a esse tipo de situação. Ele fica mais vulnerável quando a empresa não possui uma agência física. A coordenadora do Procon de Toledo salienta que muitas instituições financeiras são novas e não possuem estruturas físicas. Com isso, o consumidor não consegue manter o contato com a instituição ou até mesmo não consegue encontrar uma solução para o seu problema e, por isso, recorre ao Procon.

RESOLUTIVIDADE – No Procon, Janice revela que os servidores conseguem manter o contato com a instituição financeira. “Nós solicitamos o cancelamento do empréstimo e sem ônus ao consumidor. Por sua vez, o cidadão devolve o valor e a instituição abate a parcela”.

Dos atendimentos realizados no Procon de Toledo, estima-se que a metade tenha resolutividade ainda no pré-atendimento. “Em algumas situações, agendamos a abertura do processo administrativo e uma audiência é promovida para resolver a reclamação do cliente”, destaca Janice. Os casos encaminhados para a audiência são, a maioria, resolvidos. Mas, infelizmente, existem situações que são repassadas ao Judiciário.

DIREITO – A coordenadora do Procon de Toledo enfatiza que houve uma alteração na legislação e, com isso, os bancos ou as instituições financeiras não devem mais ‘assediar’ o público idoso para a venda de crédito. Janice comenta que caso o cidadão receba várias ligações de instituições financeiras, ele pode realizar a denúncia no Procon. Outra opção é comparecer no INSS ou baixar o aplicativo e solicitar ou realizar o bloqueio – respectivamente – de empréstimo consignado.

“Se o cidadão observar que recebia um determinado valor e teve uma diferença no mês deve procurar compreender o que aconteceu”, orienta Janice ao ponderar que o consumidor deve buscar o diálogo em canais oficiais. “A instituição financeira tem o 0800 ou o SAC. Caso não consiga a solução nestes canais, a equipe do Procon está à disposição”.

Da Redação

TOLEDO