Bandeira Roxa: Toledo está em alerta de alto risco para Covid-19

A situação da pandemia do coronavírus atingiu um nível alarmante em Toledo na última semana. A informação foi divulgada na manhã desta terça-feira (01) durante a reunião do Comitê de Operações Emergenciais (COE). Na ocasião foi apresentada a análise da Semana Epidemiológica SE21/2021, entre os dias 23 e 29 de maio de 2021.

A Matriz de Risco utilizada para o estudo confirmou a evolução de Toledo para a Bandeira Roxa, ou seja, alto risco de contaminação para Covid-19. A análise leva em conta a comparação com as duas semanas anteriores. Todos os seis indicadores usados para demonstrar a evolução do cenário pandêmico apresentaram piora. Desde a taxa de ocupação de leitos de UTI e de enfermaria adulto por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG),  previsão de esgotamento de leitos de UTI, variação do número de óbitos, variação do número de casos de SRAG, até a taxa de positividade. 

É sempre válido lembrar que essa metodologia adotada faz uma leitura do passado recente, mas auxilia os profissionais de saúde a retratar o cenário e indicar tendências nos rumos da contaminação. Com os dados que foram contabilizados até o momento, no mês de maio foram registrados 2182 novos casos de pacientes com Covid-19 e 48 pessoas foram a óbito em função do vírus. 

Em outro comparativo, considerando o número de casos e a faixa etária, os primeiros meses de 2021 são equivalentes aos nove meses de 2020. Nota-se que não houve variação do número de casos por idade, mas houve uma diminuição no número de mortes em pessoas acima de 60 anos, sinal de que a vacinação trouxe resultado no sentido de evitar a piora dos casos. 

O comportamento de alguns grupos e o relaxamento nos cuidados e medidas de proteção são apontados como fundamentais nesse retorno crescente de casos. Somente na última semana, foram registrados 792 novos casos de Covid-19 em Toledo. “Os casos estão aí, ou a gente muda nossa rotina e nossos hábitos ou ele vai continuar contaminando cada vez mais pessoas”, desabafou um dos médicos do COE. 

Até o final da tarde desta segunda-feira (31), 232 pessoas aguardavam um leito hospitalar na nossa Macrorregião, sendo 149 aguardando leitos de UTI e 83 aguardando leitos de enfermaria. O município de Toledo está aguardando um posicionamento orquestrado pela Associação dos Municípios do Oeste do Paraná (AMOP) para adotar medidas em conjunto, pois considera que algumas ações só terão efetividade se forem realizadas de forma integrada, à exemplo de outras regiões do Estado. 

Da Prefeitura de Toledo-PR