Bandeira Vermelha indica que é possível melhorar

O risco de contaminação para Covid-19 em Toledo passa a ser muito alto. Esse foi o indicativo divulgado pelo Comitê de Operações Emergenciais (COE) durante reunião realizada na manhã desta terça-feira (22). Na ocasião foi apresentada a análise da Semana Epidemiológica SE24/2021, referente ao período entre os dias 13 e 19 de junho. 

A Matriz de Risco utilizada confirmou a queda para a Bandeira Vermelha, ou seja, alto risco de contaminação para Covid-19. Ao comparar com os últimos 14 dias, a SE/24/2021 apresentou uma redução de 47% na variação de óbitos e uma redução de 31% na variação de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). 

Toledo figurou durante duas semanas consecutivas na Bandeira Preta, ou seja, risco extremo de contaminação para Covid-19. Os decretos municipais e estaduais passaram a exigir medidas mais restritivas por parte da população em geral. A adoção dessas medidas, a intensificação da fiscalização e os esforços da comunidade, no sentido de adotar e respeitar os cuidados preventivos colaboraram para conter o coronavírus e diminuir a incidência de casos no município. 

Os profissionais de saúde elencaram como fundamental a postura das pessoas no combate à pandemia. Apesar da tendência de queda, ainda é cedo para comemorar uma redução no número de casos, pois o sistema hospitalar ainda está colapsado. Em algumas localidades, a exemplo do interior do município, ainda há aumento no contágio. Uma das hipóteses levantadas, é que nessas localidades pode estar havendo menor preocupação com as medidas protetivas ou, somado a isso, maior deslocamento dos moradores, maior contato e maior risco de contágio.

Após a redução efetiva de novos casos, o reflexo no sistema hospitalar só ocorre entre 10 a 14 dias depois. Da mesma forma, quando aumentam os números de casos, o impacto na rede de atendimento especializada só acontece após esse período de tempo. O cenário ideal seria chegar a uma ocupação de UTI e leitos de enfermaria inferior a 70%. 

Toledo já acumulou até a data de 21 de junho, 2061 novos casos e 40 óbitos este durante o mês. A SE24/2021 registrou 519 positivos e 9 mortes por Covid-19. 

A Macrorregional de Saúde tinha nesta segunda-feira (21) 145 pacientes aguardando uma vaga de leito hospitalar, sendo 93 de UTI e 52 de enfermaria. 

Mais jovens doentes

Com o avanço da vacinação houve uma “jovialização” dos casos mais graves de Covid-19 internados nos serviços de urgência e emergência. No Pronto Atendimento Municipal (PAM) a mediana varia entre 50 e 59 anos. No HOESP (Hospital Bom Jesus) a média registrada é de 53 anos. Nesta segunda-feira, dos 24 leitos do hospital, 14 eram ocupados por toledanos. 

Vacina em gestantes

Os médicos do COE reforçaram a importância de todos que estão na fase de vacinação não deixarem para mais tarde. Assim que as doses estiverem disponíveis para cada grupo vacinar o quanto antes. 

Neste sentido, destacam a importância das gestantes procurarem o serviço o quanto antes para vacinar. Existem evidências de que a criança já nasce com anticorpos e imunizada. A vacina é um benefício para a gestante, que é considerada grupo de risco para Covid-19 e para o feto, que já nasce imunizado.

Da Prefeitura de Toledo-PR