Bandeira Vermelha: Toledo está em situação de risco alto para Covid-19

No dia 8 de dezembro, o Comitê de Operações Emergenciais (COE) de Toledo informou que o Município havia avançado para a bandeira roxa, conforme a matriz de risco criada pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e pelo Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems). Naquele momento, Toledo estava em nível de risco muito alto. Após algumas semanas, o Município retornou para a bandeira vermelha com risco alto no último dia 29.

Na matriz de risco Conass/Conasems, a bandeira vermelha exige medidas para conter o avanço. Os parâmetros avaliados totalizaram 28 pontos, em uma escala que vai de 0 a 40. No entanto, a diminuição na pontuação não é um indicativo que descarta o risco de contágio do coronavírus ou de um possível colapso na Saúde.

Na última evolução e situação epidemiológica da Covid-19, em Toledo, os números ainda são preocupantes. Entre março e dezembro, a semana mais complexa foi a 51, no período de 13 a 19 de dezembro. Naquela semana, o Município realizou 602 testes, sendo 265 positivos e 328 exames foram descartados, gerando uma taxa de positividade de 44,69%.

De acordo com o médico e porta-voz do COE Fernando Pedrotti, desde o começo da pandemia, o cenário mais preocupante da situação de saúde pública é em dezembro. “A semana 51 teve o maior número de casos suspeitos, de pessoas com sintomas gripais, de exames coletados no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) ou de internamentos em leitos de enfermaria e leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI)”.

Antes da semana 51, no período de 14 a 20 de junho, a Saúde realizou o maior número de testes. Naquele momento, foram 435 exames coletados, sendo 215 com resultados positivos e 212 negativos, gerando uma taxa de positividade de 50,35%. Contudo, o cenário da saúde pública era diferente.

OUTROS DADOS – Com relação ao número de internações hospitalares SUS, por Covid-19, considerando cada mês, em dezembro foram 73 internações, de acordo com dados divulgados até o último dia 29. Na sequência, aparece junho com 70 internações; julho com 47; setembro com 43; outubro com 30; novembro com 27; abril com 19; maio com 14 e agosto com dez.

A maior faixa etária com casos identificados através de exame de RT-PCR no SUS é entre 20 a 29 anos. Os dados até o dia 29 de dezembro mostram que 24,97% dos casos estão nesta faixa etária. Seguido de 30 a 39 anos (21,52%) e 40 a 49 anos (16,90%).

Sobre as síndromes gripais, dezembro é o mês que apresentou a maior média de atendimento diário. Até o último dia 28, a média estava em 91,07%. Antes, junho apresentou a maior média de atendimento com 83,83%.

ORIENTAÇÃO – Até o dia 2 de janeiro de 2021, Toledo estará na semana 53 da situação epidemiológica da Covid-19. “A população deve continuar vigilante em todos os cuidados para evitar a proliferação ou o contágio do novo coronavírus. Uma semana com diminuição nos casos ainda é pequena ao considerar que o ciclo da doença é de 14 dias”, recomenda Pedrotti.

O médico destaca que a prevenção é fundamental. “As pessoas não devem deixar de fazer o uso de máscara, manter o distanciamento social e realizar a lavagem das mãos várias vezes ao dia”, afirma Pedrotti ao finalizar que durante as comemorações do final do ano que as famílias evitem confraternizações. “A pandemia não acabou e nós precisamos manter os cuidados”.

DADOS – Os dados do boletim epidemiológico do coronavírus de Toledo confirmam a análise do médico Pedrotti que a pandemia ainda não acabou. Na última quarta-feira (30), mais duas pessoas perderam a luta para a Covid-19. Desta maneira, o Município chega a 94 óbitos.

Uma das mortes ocorreu na tarde do dia 27 de dezembro. No entanto, a Saúde de Toledo somente teve conhecimento do óbito na quarta-feira; uma vez que o paciente se encontrava internado em outra cidade. Um homem, de 58 anos, apresentou os primeiros sintomas no dia 23 de dezembro. Ele foi internado em serviço hospitalar, porém o seu quadro evoluiu para óbito.

O segundo óbito trata-se de uma mulher, de 82 anos. Ela internou no dia 20 de dezembro e realizou a coleta de RT-PCR, o qual apresentou resultado positivo. No último dia 22, ela necessitou ser transferida para o leito de UTI e o seu quadro evoluiu para óbito na noite de terça-feira (29).

Com relação aos novos casos, 26 novos casos foram confirmados no Sistema Único de Saúde, com 25 deles confirmados através de exames de RT-PCR (13 femininos e 12 masculinos) e um caso através de Teste Rápido (feminino).

No setor de Saúde Privada e Suplementar são 95 os novos casos, sendo que 57 deles foram identificados através de exames de RT-PCR (25 femininos e 32 masculinos) e 38 deles identificados através de Testes Rápidos (27 femininos e 11 masculinos).

Os dados do boletim ainda demonstram que 44 moradores de Toledo estavam internados em hospitais até ontem, sendo 23 em leitos de enfermaria e 21 em leitos de UTI.

Da Redação