“Biopark Connect” incentiva a geração de empregos na área de TI

A falta de profissionais da área da Tecnologia da Informação (TI) é um problema enfrentado em Toledo e em todo o Brasil. São muitas vagas e poucos profissionais para preenchê-las. Diante deste cenário, o Biopark – Parque Tecnológico – lançou, na segunda-feira (5), o “Biopark Connect”. O programa incentiva a geração de empregos e o crescimento dos negócios no município e na região.

Estima-se que estejam abertas cerca de 200 mil vagas de TI no Brasil e que até 2024 esse número chegue a 400 mil postos de trabalho, de acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom).

Em Toledo, o cenário é semelhante, movimentado pelo crescimento no número de empresas da área de tecnologia e a consequente necessidade de mão de obra qualificada. Um crescimento que também ganha estímulo com o Biopark, que tem entre seus objetivos consolidar a Região como polo de pesquisa, desenvolvimento e tecnologia.

Desta maneira, o “Biopark Connect” vai colaborar na formação de mão de obra e na inserção de pessoas no mercado de trabalho. Ele vai ofertar 40 bolsas de estudo de até R$ 1 mil durante os seis meses de duração.

Conforme a gerente de Educação e de Pesquisa e Desenvolvimento Ana Luiza Donaduzzi, a Educação é um dos pilares do Biopark e o trabalho construído diariamente somente terá sucesso se conseguir formar a mão de obra qualificada e atenta as demandas locais. “Na pandemia, nos reinventamos. Ações foram sistematizadas e estão sendo colocadas em práticas. Uma delas é o “Biopark Connect”. O programa busca sanar a demanda de profissionais na área de TI”.

O PROGRAMA – O “Biopark Connect” vai capacitar pessoas com 18 anos completos ou mais e o Ensino Médico concluído ou em fase de conclusão. Trata-se de um público que deseja ingressar na área de TI ou tenha habilidade para atuar neste setor. Ana Luiza explica que a equipe elaborou um curso de imersão com duração de seis meses e mais de 800 horas. “O programa é uma proposta nova ao município e para a região”.

As inscrições são realizadas no site www.saltoprofuturo.com.br e o candidato deve informar os dados pessoais. As inscrições seguem até o dia 24 de julho. O processo seletivo acontece entre 25 de julho e 10 de agosto. No dia 25 de julho acontece a primeira etapa. Uma prova com questões de raciocínio lógico, matemática e português. O candidato que atingir a nota 7,0 ou superior está classificado para a segunda etapa. Na segunda fase – entre os dias 29 e 31 de julho – um teste online vai balizar as competências do candidato na área.

Segundo Ana Luiza, a expectativa é divulgar a primeira chamada até o dia 10 de agosto e diante da necessidade novas chamadas. As aulas iniciam em 16 de agosto e são presenciais das 14 horas às 22 horas. “É uma imersão na área de TI. Nós elaboramos uma ementa para que as pessoas atuem em diversas plataformas, baseadas nas informações repassadas pelos empresários e para atender o mercado de trabalho”, afirma a gerente ao complementar que a metodologia que será utilizada é a ativa. “Em fevereiro de 2022, nós teremos a certeza que as 400 pessoas estarão empregadas”.

Os 40 inscritos no Programa vão receber bolsa. Os dez primeiras colocados vão receber uma bolsa de R$ 1 mil; do 11º ao 21º cada candidato vai receber R$ 500 e, na sequência, os demais bolsistas vão receber R$ 200.

EMPREGABILIDADE – Os empresários esperam que o novo colaborador seja ético, organizado, proativo e responsável. Durante a realização do curso, representantes de empresas devem conhecer os alunos. “Queremos garantir que no final de seis meses, os candidatos estarão empregados”, destaca a gerente ao revelar que a mão de obra está escassa no mercado e para movimentar a região é preciso qualificar a população”.

Ana Luiza enfatiza que o Biopark – Parque Tecnológico – quer mudar a região. “Nós precisamos capacitar as pessoas, porque é somente assim que conseguiremos mudar a nossa região, o nosso Estado e o nosso Brasil. Precisamos trazer investidores e empresários para Toledo e região e permitir que para eles um ambiente para crescer, ter os seus negócios e as suas famílias”.

O Biopark – Parque Tecnológico – possui três pilares: saúde, TI e agro. Ana Luiza esclarece que cada curso deverá focar em uma ou mais áreas e são as demandas do mercado de trabalho responsáveis por as nortearem. “Atendemos as demandas da sociedade e TI é uma área que já queríamos ter trabalhado e agora conseguimos executar. Esperamos que seja um programa que vai mudar a vida para quem desejar estudar e crescer”.

Da Redação

TOLEDO