Campanha ‘Toledo contra a Covid’ testará os pacientes

A campanha ‘Toledo contra a Covid’ tem prestado atendimento gratuito para as pessoas que apresentam os primeiros sintomas da doença no município. A iniciativa – da Associação Comercial e Empresarial de Toledo (Acit), da Associação Médica de Toledo (AMT) e da Universidade Paranaense (Unipar) que buscam esforços para conter o avanço da pandemia no município – atendeu 945 pacientes até a última terça-feira (6).

Muitas pessoas já realizam os exames seja no sistema particular ou pelo Plano antes de buscaram pelo atendimento com os médicos da campanha. Para o exame RT-PCR ser realizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS) existe a necessidade de uma nova consulta na rede para solicitar o pedido. Esse assunto foi abordado durante a reunião ordinária do Conselho Municipal de Saúde de Toledo (CMST) na semana passada. A possibilidade é que o pedido do médico da campanha possa ser aceito no SUS. A proposta visa melhorar as estatísticas dos casos no município.

Segundo o presidente em exercício do Conselho Pierre Richard Bois, a Secretaria de Saúde de Toledo solicitou a opinião dos conselheiros e a maioria considerou a possibilidade válida. “O SUS já faz o exame. Se o paciente apresentar sintomas e necessitar de atendimento, ele pode buscá-lo no Sistema. Os exames podem auxiliar no combate a pandemia, principalmente, em auxiliar no processo de controle dos índices”, afirma o presidente ao complementar que a Secretaria não necessitaria do aval do Conselho, além disso cada médico participante na Campanha é responsável por cada procedimento adotado. “Os Conselheiros não possuem como objetivo interferir de maneira positiva ou negativa nos procedimentos dos médicos e nem podemos fazer isso. O órgão é favorável por 50% +1 votos exatos e que não há problema em se encaminhar pacientes para realizarem o teste RT-PCR”.

PANDEMIA – O médico e presidente da Associação Médica de Toledo (AMT) Nilson Fabris explica que muitos profissionais estavam preocupados com a situação da pandemia em Toledo antes de iniciar a campanha. “O nosso desejo era atender o paciente, repassar orientações e solicitar o isolamento. Nós sabíamos que assim a transmissão do vírus diminuiria”, afirma Fabris.

Ele pondera que “como estamos no meio de uma pandemia com muitos casos consideramos todo paciente com sintomas de infecção respiratória como um caso de Covid. Isolando ele imediatamente. Isso foi necessário devido ao colapso dos atendimentos que vivíamos há três semanas. Agora a situação melhorou bastante em relação ao número de casos novos”.

Neste momento, os médicos consideram importante testar cada paciente. “No primeiro instante, o nosso objetivo era sair do caos e realizar o atendimento precoce o mais breve”, explica o médico ao salientar que muitas pessoas buscam o atendimento na campanha já com os resultados dos exames em mãos.

ESTIMATIVA – De acordo com o presidente da Associação Médica de Toledo (AMT) Nilson Fabris, a coleta de exame será realizada no maior número possível de pacientes. “Assim, teremos um número real de casos. Acredito que o número de casos tem caído bastante. Mesmo quando não oferecíamos o exame, o paciente coletava o exame por conta e tínhamos um número bem próximo do número de casos totais”.

As atividades da campanha ‘Toledo contra a Covid’ serão ampliadas nesta semana, o médico Fabris menciona que o teste de antígeno será ofertado ao paciente. Trata-se de um exame imunológico rápido e ele avalia a proteína viral do SARS-CoV-2 no organismo. “A ação será realizada em parceria com algumas farmácias da cidade e o pagamento do exame será efetuado com o valor de doação. Assim, teremos um número maior de pacientes com exame de Covid-19 coletado e uma estatística mais apurada”, afirma o médico ao salientar que “agora que passaremos a pagar o exame é possível que o número aparente de casos aumente nos próximos dias, porém ele será um número mais próximo ao real”.

Sobre a possibilidade da testagem pelo SUS, o médico e diretor-geral da Secretaria de Saúde de Toledo Fernando Pedrotti comenta que o assunto foi abordado no Conselho Municipal de Saúde. Porém, diante da informação que houve uma diminuição na procura pelo serviço na campanha e, por essa razão, o exame será custeado para quem não tem condição. “Assim sendo, consideramos que a motivação que tínhamos para levar tal discussão para o Conselho não mais se apresenta e não haverá necessidade da adoção de tal medidas”.

Da Redação

TOLEDO