Com 180 notificações, dengue exige atenção da sociedade

Dados do boletim epidemiológico da dengue – atualizado na quarta-feira (23) – apontam que Toledo apresenta três casos autóctones positivos. O dado coloca o Departamento de Combate à Dengue em alerta. Até a data citada, a equipe realizou 180 notificações e descartou 150. Além disso, aguarda o resultado de 27.

Segundo o coordenador do setor de Endemias Selídio Schmidt, as notificações são realizadas em quase todos os bairros de Toledo. “Muitos sintomas são confundidos com a Covid-19. Mas, diante das notificações, a equipe realiza o bloqueio, porque o exame é encaminhado ao Laboratório Central do Estado do Paraná (Lacen) e o resultado demora alguns dias”.

Uma situação considerada preocupante pelo Departamento é o fato da notificação ter iniciado em meados de setembro e de outubro deste ano. Schmidt comenta que a equipe realizou cinco ciclos de fumacê, porém os mosquitos estão se desenvolvendo.

Outro fator pontuado pelo coordenador do setor é a dificuldade da equipe em realizar a visita na residência de cada morador. “Muitas pessoas não recebem os agentes devido as restrições da pandemia e, principalmente, ‘não fazem o dever de casa’. Por isso, nem sempre conseguimos saber a real situação de um determinado quintal. A contaminação é um fator que nos preocupa”, afirma.

CONSCIENTIZAÇÃO – Conforme Schmidt, a população precisa agir com reponsabilidade, pois mais de 90% dos criadouros do mosquito Aedes aegypti são fáceis de serem removido. “Os agentes observam água parada em piscina, sacos plásticos, bebedouro de animal, lixo doméstico, entre outros locais”.

Neste momento, o coordenador enfatiza a importância da conscientização da comunidade em manter o quintal ou os terrenos limpos e sem objetos que possam acumular água.

Na quarta-feira, a equipe realizou o sorteio para organizar o Levantamento Rápido de Índices para Aedes Aegypti (LIRAa), o qual deve acontecer na primeira semana de janeiro de 2021. “O verão começou na última segunda-feira e esse é um período em que as chuvas são registradas quase todas as semanas. Na sequência, aparece o sol quente. O clima é propício para o desenvolvimento das larvas do mosquito. Por isso, mantenha a limpeza em seu espaço, assim conseguiremos evitar os casos confirmados de dengue na cidade”.

Da Redação

TOLEDO