Criação de Unidade Sentinela aguarda sanção do prefeito de Toledo

Toledo assim como outros municípios vivem uma pandemia estabelecida pelo novo coronavírus. As cepas sofrem mutações e se alastram com rapidez, fazendo o sistema de saúde colapsar. Diante deste cenário, vereadores do Município propuseram o Projeto de Lei nº 84 que visa a criação da Unidade Sentinela na Rede durante o período da pandemia para a disponibilização do tratamento imediato da Covid-19.

O projeto – amplamente discutido pelos parlamentares – foi aprovado por maioria dos vereadores (16×1) em segundo turno durante sessão extraordinária realizada na manhã de ontem (14). Anteriormente, na segunda-feira (12), a matéria foi aprovada em primeiro turno.

Na mensagem do Projeto de Lei, os vereadores consideram que a Casa de Leis é responsável por representar os munícipes, protegê-los por meio de políticas públicas e agir frente a possíveis omissões. Além disso, existe a necessidade da união de forças para amenizar o sofrimento das pessoas.

Os vereadores consideram que a implantação de tratamento imediato, de fato, não é uma medida curativa específica para a Covid-19, mas são as medidas conhecidas, e sim, surtem efeitos que amenizam os sintomas da doença.

PREOCUPAÇÃO – Segundo o vereador Chumbinho Silva, a aprovação do tratamento imediato será fundamental para a população. Na ocasião, ele cita a preocupação dos integrantes do Comitê de Operações Emergenciais (COE) de Toledo que esteve reunido na última terça-feira (13) diante da análise da Semana Epidemiológica. “Acredito que a agilidade no atendimento será benéfica”.

Chumbinho Silva menciona que a vacina é a parte mais importante no enfrentamento da Covid-19, no entanto, o Poder Público deve ter um plano ‘B’. “A Unidade vai centralizar o atendimento e os médicos que prescrevem os medicamentos. A testagem rápida também é necessária acontecer neste local para agilizar o atendimento, porém é algo que preciso ser visto”.

Com a aprovação da maiores dos vereadores, Chumbinho Silva deseja que o prefeito Beto Lunitti sancione. “O nosso objetivo é fazer com que os sintomas sejam amenizados ou erradicados por completos”. Com a votação favorável da maioria, o parlamentar Marcelo Marques disse estar feliz e satisfeito com a aprovação do projeto de lei.

O vereador Elton Welter votou contrário ao PL e ele afirma que respeita o posicionamento de seus colegas. “Mas a minha preocupação é com ação que o uso excessivo dos medicamentos pode causar no organismo no futuro. A minha posição é banalizada diante da opinião de profissionais dos principais hospitais do Brasil”.

Da Redação

TOLEDO