Decoração natalina: como inovar sem gastar?

As datas comemorativas deste ano estão diferentes e sem grandes festividades. O natal está próximo e quem gosta de decorar a casa já investe em adornos para entrar no clima natalino. Considerada a data comercial mais importante o natal movimenta diversos segmentos além do comércio, aqueles que trabalham com produtos personalizados, ideias de reaproveitamento e enfeites variados já investem em propaganda para fomentar o negócio.

As decorações, geralmente, são colocadas na segunda quinzena de novembro. A partir deste período, estabelecimentos comerciais e residências ganham luzes, cores, presépios, papais noéis, trenos, anjos, árvores, entre outros adornos que deixam o momento mais encantador para as crianças e os adultos.

“A decoração deixa o ambiente mais alegre, mais leve e bonito”, cita a microempreendedora e artesã, Maria Cecília. “Em tempos de pandemia nada melhor do que deixar os espaços mais aconchegantes. A questão é que de um ano para o outro, sem renovar essa decoração, acabamos por ‘enjoar’ dela, por isso, a dica é inovar, mas visando o reaproveitamento das peças natalinas e deixar tudo novo de novo”.

Maria destaca que as vertentes do artesanato sustentável baseado na reciclagem e a ressignificação de elementos e objetos ganham cada vez mais adeptos. Ela cita que é possível dar uma repaginada em itens antigos e tradicionais.

“As luzes, as árvores natalinas, os bonecos de neves, as luzes, as guirlandas, os sinos e todos os demais itens decorativos usados para compor as decorações de natal podem ser revitalizados. Com a revitalização das peças elas podem mudar totalmente passando do clássico para o moderno, do tradicional para o inovador, do velho para o novo”, afirma a artesã.

CRIATIVIDADE NA CRIAÇÃO – O dom para alterar uma peça envolve a criatividade do artesão. Maria comenta que papéis coloridos, tintas, fitas, glitter e luzes podem mudar totalmente uma decoração. Ela destaca que para ampliar é interessante acrescentar peças de tricô bordado, feltro, fitas de cetim, pintura e crochê, pois, dessa forma as peças se tornam únicas e personalizadas.

“Cada decoração tem as particularidades dos donos da casa ou do estabelecimento. Quem não pode ou não quer gastar pode investir em reinventar a decoração. É lindo este período em que vemos as ruas, as casas, as lojas decoradas. Precisamos dessa luz para termos mais ânimo”, conclui.

Da redação