Dia do Rio é marcado com a limpeza da Sanga Pyahu em Toledo

Ação conjunta realizada pela comunidade marcou o Dia do Rio em Toledo. Alunos do Colégio Estadual Novo Horizonte e da Escola Municipal Valdir Becker se uniram para limpar as margens da Sanga Pyahu em Toledo. Mesmo numa área fechada próximo a empresa Prati Donaduzi, foi possível encontrar vários tipos de resíduos, como pneus, monitores de computador e outros entulhos.

O Setor de Endemias também fez a entrega de sacos de ráfia e imãs com o roteiro da coleta seletiva para os moradores no entorno da comunidade. O Dia do Rio foi escolhido, pois o mesmo lixo que é jogado nas margens do rio também pode ser causador de doenças para o ser humano e cada agente de endemias também é um educador ambiental. 

O prefeito Beto Lunitti acompanhou a ação educativa coordenada pela Secretaria de Desenvolvimento Ambiental e Saneamento e também conversou com a juventude presente. “Esse processo que vivemos aqui [nas margens da Sanga Pyahu] é promover o encantamento pela vida em toda sua concepção. Cada pensamento que temos está conectado de alguma forma com o meio ambiente. As nanopartículas do ser humano estão ligadas com o universo. Tudo está conectado. Cuidar do meio ambiente é cuidar da gente”, explanou Beto. 

A líder da Comunidade de Aprendizagem Sanga Pyahu, Marilene Galdino Camilo, responsável pelo projeto de limpeza da sanga desde 2005, lamentou a necessidade de repetir a ação durante todos esses anos. “Desejaríamos não precisar estar aqui e sim que as pessoas cuidassem do meio ambiente, assim não precisaríamos voltar todo ano para lembrar a comunidade da importância de manter as margens de nossos rios preservados. Temos novas gerações aqui e também a esperança de tornar esse ambiente um lugar seguro para as próximas gerações”, salientou Marilene. 

O padre da Paróquia São Francisco, Pde André Kasper, chamou a atenção dos presentes sobre a necessidade do cuidado. “Nós dependemos uns dos outros. A água é o sangue da terra e não podemos deixar nosso sangue contaminado. Vamos rezar para que o coletivo fale mais alto que o individual. Matando as fontes, nós matamos a vida”, afirmou ele. 

O secretário de Desenvolvimento Ambiental e Saneamento, Júnior Henrique Pinto, comemorou os resultados do projeto. “Felizmente cada ano tem menos lixo na Sanga Pyahu. Isso se deve graças ao trabalho insistente dos voluntários que desde 2005 realizam essa atividade. Hoje é dia do rio e não tinha data mais propícia para realizarmos essa ação de limpeza”, pontuou. 

A limpeza

Os estudantes do Colégio Estadual Novo Horizonte começaram o dia com uma caminhada até a Sanga Pyahu. Cartazes em lona demonstravam o caminho percorrido desde 2005, quando ainda acreditava-se estar limpando a Sanga Cerro corá e descobriu-se que se tratava de algo novo. Já nas margens do rio, após os encaminhamentos fomentando a educação ambiental, os jovens passaram a recolher o lixo jogado no meio ambiente. 

A ação envolveu a Secretaria Municipal do Desenvolvimento Ambiental e Saneamento,  Coletivo Educador Municipal, Secretaria Municipal de Educação, Escola Municipal Waldyr Becker, Colégio Novo Horizonte, SANEPAR, Centro da Juventude, Núcleo dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável de Toledo (Núcleo ODS), Prati Donaduzzi, São Jorge Locadora de Máquinas, Secretaria de Segurança e Trânsito, Paróquia São Francisco, Controle de Endemias e demais parceiros. 

O estudante do 9º Ano do Colégio Novo Horizonte, Nícolas Augusto da Silva (15) não precisou andar muito para encontrar um monitor de computador jogado nas margens da Sanga. “Foi gente que trouxe lixo e jogou em local proibido. Tiveram a coragem de vir de lá até aqui no meio do mato jogar o monitor, sendo que tem um reservatório próprio para jogar entulho. Isso não veio andando até aqui, são mais de 100 metros para dentro da mata. Falta de vergonha fazer algo assim”, desabafou indignado o estudante. 

A organização do evento reconheceu que, comparado com anos anteriores, hoje as margens da Sanga estão bem mais limpas, mas ainda há muito o que avançar. Entulhos, restos de roupas, móveis e até peças de carro são despejadas na Sanga Pyahu. 

Professoras aproveitaram a oportunidade para trabalhar conceitos de pertencimento e valorização da vida com alunos dos 5º anos da Escola Waldyr Becker. Eles também receberam sementes de Margarida e rúcula fornecidas pela Itaipu Binacional. 

Da Prefeitura de Toledo-PR